Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Ministério Público Militar da Ucrânia permite ao Setor de Direita violar as leis

Na semana passada tornou-se público o conflito latente entre as Forças Armadas da Ucrânia e a organização nacionalista paramilitar Setor de Direita, que participou na operação militar contra a milícia em Donbass.


Sputnik

Os soldados do Exército ucraniano bloquearam a sede da organização nacionalista localizada no leste da Ucrânia. O líder do grupo radical Dmitry Yarosh chamou o acontecimento de provocação por parte das autoridades ucranianas e organizou uma ação de protesto em Kiev, perto da administração presidencial de Pyotr Poroshenko.


Setor de Direita
© Sputnik/ Aleksandr Maksimenko
Enquanto isso, o promotor-geral da Ucrânia Anatoly Matios chamou o Setor de Direita de “grupo armado ilegal”. Ao mesmo tempo, ele disse que os nacionalistas podem violar as leis do país porque eles são patriotas fiéis à Ucrânia. Em entrevista a um canal de TV ucraniano, Matios disse:

“Podemos perguntar ao Google o que são grupos armados que não estão registrados nas instituições do Estado. A resposta será idêntica à minha: aqueles que não estão registrados numa instituição do Estado estão fora da lei. O Setor de Direita, segundo a lei, pode ser chamado de grupo armado ilegal. Mas eu, provavelmente, mentiria e não seria ucraniano se não dissesse que este não é um simples grupo armado. O Setor de Direita são patriotas absolutos.”

As autoridades da Ucrânia se abstiveram de comentários sobre a situação entre as Forças Armadas e Setor de Direita.

Durante o protesto, que foi realizado em Kiev em 29 de abril, os nacionalistas exigiram a demissão de Pyotr Poroshenko do posto de presidente da Ucrânia. Os radicais também ameaçaram atear fogo à administração presidencial.


Postar um comentário