Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Analista: entrega de dados de Israel sobre abate de Il-20 significa muito para Rússia

O comandante da Força Aérea Israelense, Amikam Norkin, forneceu ao Ministério da Defesa da Rússia dados sobre o incidente com o avião russo Il-20 na Síria. Israel demonstra que não pretende perder a cooperação estabelecida com a Rússia, disse o analista político Stanislav Tarasov durante uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.
Sputnik

Além destas informações sobre o abate da aeronave, Israel também avisou sobre "as tentativas do Irã de fortalecer sua posição na Síria e entregar armas estratégicas ao Hezbollah". Os militares observaram que é necessário continuar coordenando as ações na Síria, ressaltando a importância de respeitar os interesses dos dois países.

O avião russo Il-20 foi abatido sobre o mar Mediterrâneo no dia 17 de setembro, a 35 quilômetros da costa síria, por um míssil do sistema antiaéreo S-200 da Síria, resultando na morte de 15 militares.

Ao mesmo tempo, quatro caças F-16 atacaram instalações sírias em Latakia. De acordo com o Ministério da Defesa da…

OTAN anuncia oito novas unidades de comando no Leste Europeu

A OTAN vai se focar na melhoria de sua defesa coletiva por meio da criação de até oito novas unidades de comando e controle na parte oriental da aliança, disse o secretário geral da organização, Jens Stoltenberg, discursando no Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais nesta quarta-feira (27).


Sputnik

"Estamos estabelecendo seis unidades de comando e controle nos três países bálticos [Letônia, Lituânia e Estônia] e na Polônia, Bulgária e Romênia. E, provavelmente, também [haverá] mais duas em mais dois países", anunciou.


Jens Stoltenberg
Jens Stoltenberg © REUTERS/ Francois Lenoir

De acordo com anúncios anteriores da OTAN, os seis centros de comando e controle se destinam a facilitar a mobilização da Força Tarefa Conjunta de Reação Rápida dos aliados, formada para fazer frente a uma suposta ameaça representada por "ações agressivas da Rússia", que voltou a ser acusada por Stoltenberg de fornecer armas, soldados e dinheiro para os movimentos de independência no leste da Ucrânia.

Moscou, porém, afirma frequentemente que não nutre qualquer ambição expansionista e ressalta que, de fato, é a OTAN quem está expandindo sua presença militar no Leste Europeu, cada vez mais perto das fronteiras russas.

Durante reuniões com o presidente norte-americano Barack Obama na terça-feira (26), Stoltenberg disse que os dois discutiram "a importância de reforçar a defesa coletiva", de acordo com o quadro estabelecido na cúpula da OTAN realizada em 2014 no País de Gales.

"A OTAN já aumentou sua presença militar na parte oriental da aliança com mais policiamento aéreo, com mais tropas fazendo exercícios, e também com mais navios no Mar Negro e no Mar Báltico", disse o secretário geral nesta quarta-feira. Stoltenberg se recusou, no entanto, a confirmar se a presença permanente da OTAN na Europa Oriental foi discutida com Obama.

As relações entre a OTAN e Moscou pioraram após a reunificação da Crimeia com a Rússia e a escalada da crise ucraniana em 2014. Em abril de 2014, a aliança suspendeu toda a cooperação com a Rússia, acusando Moscou de alimentar o conflito na Ucrânia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas