Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

OTAN manipula informações sobre a Rússia, diz chefe de espionagem francês

O general Cristophe Gomart, diretor do serviço de inteligência militar da França, considera que a OTAN não fornece informações confiáveis sobre a Rússia para, propositalmente, gerar uma escalada de países europeus contra Moscou.


Sputnik

"O verdadeiro problema com a OTAN é que nela predomina a informação americana, enquanto a inteligência francesa é menos considerada, por isso existe a importância de alimentar suficientemente a OTAN com informações de origem francesa", disse o general a uma comissão da Assembleia Nacional francesa.


General Christophe Gomart, comandante das forças especiais francesas
© AFP 2015/ Frank Perry

Em seu discurso, Gomart defendeu a importância de seu serviço e pediu mais recursos. Para destacar a importância de uma inteligência militar própria, o general voltou a recorrer ao exemplo da OTAN: "A OTAN anunciou que os russos iam invadir a Ucrânia, enquanto segundo nossas informações nada confirmava essa hipótese", garantiu.

Gomart disse ainda que "os russos não haviam deslocado seus postos nem meios logísticos como hospitais de campanha, o que permitiria prever um plano de invasão militar. Depois, viu-se que tínhamos razão", explicou a tempo de reiterar que a França precisa ter a possibilidade de dispor de informações confiáveis que "permitam avaliar as situações e fazer valer um ponto de vista."

Segundo o jornal espanhol La Vanguardia, a participação do general na Assembleia não motivou nenhuma pergunta dos deputados que assistiam à sessão. Nenhum veículo de imprensa francês repercutiu as declarações.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas