Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Rússia aumentará poderio militar na Crimeia em resposta à OTAN

O embaixador russo na OTAN, Alexander Grushko, afirmou nesta sexta-feira (15) que a Rússia reforçará o seu agrupamento militar na Crimeia em resposta aos planos de alargamento da aliança para o Leste.


Sputnik

Ele disse que não há proibição da colocação de sistemas de defesa na península. “Tudo o que fazemos na Crimeia é parte dos compromissos internacionais assumidos pela Rússia, não violam qualquer coisa.”


Manobras das Tropas do Interior na Crimeia
© Sputnik/ Sergey Pivovarov

Durante uma videoconferência Moscou-Bruxelas organizada pela agência Rossiya Segodnya, Grushko observou que “não existe qualquer proibição de colocar lá (na Crimeia) sistemas de defesa”. Ele explicou que a intenção de reforçar a presença militar na península russa é devido ao aumento da atividade dos países da OTAN.

Grushko advertiu que os planos de expansão da aliança para mais perto das fronteiras russas ameaçam desestabilizar a situação e levar a uma corrida armamentista.



Postar um comentário