Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Países muçulmanos reconhecem Jerusalém como capital do Estado da Palestina

Os países da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) acordaram nesta quarta-feira reconhecer Jerusalém Oriental como capital do Estado da Palestina e convidaram as outras nações a fazer o mesmo, em resposta à decisão dos EUA de declarar Jerusalém como capital de Israel.
EFE

"Declaramos Jerusalém Oriental como capital do Estado da Palestina e convidamos todos os países a reconhecer o Estado da Palestina com Jerusalém Oriental como sua capital ocupada", indica a minuta da declaração preparada nesta quarta-feira em Istambul por esta organização, formada por 57 países de maioria muçulmana.


A OCI, formada por 57 países de maioria muçulmana, inclui desde sua fundação em 1969 a Palestina como membro pleno, com sua capital em Jerusalém.

O documento, apresentado pelos "reis, chefes de Estado e de Governo dos Estados membros da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)", apresenta em 23 pontos a postura do mundo muçulmano perante a decisão dos EUA.

Nesse texto, a OCI &quo…

Rússia e China farão exercícios navais no mar Mediterrâneo

O porta-voz do Ministério de Defesa chinês, Geng Yansheng, afirmou à agência RIA Novosti que pela primeira vez Rússia e China farão exercícios navais conjuntos no mar Mediterrâneo. As manobras acontecerão em meados de maio.


Sputnik

“De acordo com os planos da Federação da Rússia e da República Popular da China, as marinhas dos dois países realizarão exercícios militares conjuntos batizados de Sea Cooperation-2015”, disse Yansheng. Ele destacou que o treinamento envolverá nove navios de cada lado.


In this April 26, 2012 file photo released by China's Xinhua News Agency, Chinese navy's missile destroyer DDG-112 Harbin fires a shell during the China-Russia joint naval exercise in the Yellow Sea
© AP Photo/ Xinhua, Wu Dengfeng, File

“Os exercícios principalmente incluirão treinamentos militares e de escolta no mar, bem como os para garantir a segurança do transporte naval”, explicou o porta-voz.

O objetivo das manobras é aprofundar a cooperação bilateral e reforçar a capacidade de combate dos dois países, a fim de repelir ameaças à segurança marítima.

Neste contexto, Yansheng sublinhou que os exercícios não estão dirigidos contra outros países e não estão relacionados com a situação na região.


Postar um comentário