Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Rússia já tem seu próprio Mistral em fase final de projeção

O análogo dos navios franceses tipo Mistral está em fase final de projeção e será lançado em breve, disse o chefe da Direção de Construção Naval da Marinha russa, Vladimir Tryapichnikov.


Sputnik

"O setor militar-industrial da Rússia é capaz de construir um análogo dos navios da classe Mistral. O navio está atualmente na fase final de projeção e provavelmente será começado a construir em breve", disse Tryapichnikov na entrevista à rádio russa Ekho Moskvy.


Navio de guerra da Frota do Norte Admiral Kuznetsov
Admiral Kuznetzov © Sputnik/ RIA Novosti

O chefe da Direção acrescentou que a decisão de comprar os navios Mistral à França foi tomada "sob certas circunstâncias" e que, passados seis anos, a Rússia é agora capaz de construir ela própria navios deste tipo.

Nesta quarta-feira, o vice-presidente do Comitê da Indústria da Duma de Estado, Vladimir Gutenev, também disse que a Rússia poderá produzir um navio similar, movido a energia nuclear, aos porta-helicópteros da classe Mistral:

"Em termos técnicos, não será difícil construir um navio como o Mistral especialmente desde que tivemos acesso à lista de desenhos dos porta-helicópteros [franceses]. Alguns dos nossos sistemas de armas são adaptados às características militares desses navios".

Se as Forças Armadas russas construírem um navio similar ao Mistral francês, isso será um "navio semelhante em tamanho, mas com um motor de potência nuclear" e com "sistemas de defesa aérea e antissubmarino".

Também no sábado Vladimir Tryapichnikov disse que a Marinha russa receberá um porta-aviões avançado em 2026-2027.


Postar um comentário