Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Secretário da OTAN pede transparência nos exercícios militares da Rússia

A OTAN quer que a Rússia seja mais transparente em seus exercícios militares, afirmou o secretário-geral da Organização, Jens Stoltenberg, após uma conversa com o ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov.


Sputnik

Stoltenberg se encontrou com o principal diplomata russo durante uma sessão do Conselho Europeu de Ministros, em Bruxelas, nesta terça-feira.




"Para a OTAN, é importante fazer o possível para evitar incidentes e uma situação fora de controle. Portanto, estamos muito preocupados com a transparência em relação a todos nossos exercícios e estamos completamente transparentes no que diz respeito a quando e onde iremos conduzir manobras."

O líder da OTAN apontou que o grande número de exercícios rápidos conduzidos pela Rússia "reduz previsibilidade" nas fronteiras da aliança e ressaltou ainda que Moscou deveria ser mais transparente sobre suas atividades militares.

Ao longo do último ano, a OTAN vem aumentando sua presença no leste europeu e nas proximidades da fronteira ocidental da Rússia por causa da deterioração de relações com Moscou após o início do conflito ucraniano.

Moscou, por sua vez, expressou seguidas vezes sua preocupação com o aumento das atividades militares da OTAN perto de suas fronteiras - inclusive com exercícios de grande escala nos países bálticos.

Em dezembro de 2014, o Ministério da Defesa russo informou que o país planejava conduzir pelo menos quatro mil exercícios militares em 2015. A OTAN mostra receio apesar de Moscou ter informado com antecipação seus planos.



Postar um comentário