Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Taiwan propõe partilha do mar do Sul da China

O presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, propôs nesta terça-feira (26), durante o fórum de pesquisa da Ásia e Pacífico, que os recursos do mar do Sul da China sejam partilhados entre os países que reivindicam a região. O objetivo do líder taiwanês é acalmar as tensas relações pelas riquezas naturais da região.


Sputnik

Ying-jeou afirmou que onde “a soberania não pode ser dividida, os recursos devem ser partilhados”. A ideia é que os países se unam para explorar conjuntamente o mar do Sul da China, uma região de 3,5 milhões de metros quadrados reivindicada por Taiwan, Brunei, Malásia, Vietnã, Filipinas e China.


Mar do Sul da China.
© REUTERS/ Ritchie B. Tongo

A proposta, porém, não deve conseguir apoio dos demais países, visto que Taiwan não é reconhecido como independente pela China e que não mantém relações diplomáticas com muitas nações.

As atividades chinesas no mar do Sul foram criticados recentemente por Washington. Pequim rechaçou as posições norte-americanas dizendo que os EUA não são parte nesta disputa. O ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, foi enfático na resposta. “Eu gostaria de reafirmar que a determinação da China para salvaguardar a sua integridade territorial e soberania é tão dura como uma rocha.”


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas