Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Taiwan propõe partilha do mar do Sul da China

O presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, propôs nesta terça-feira (26), durante o fórum de pesquisa da Ásia e Pacífico, que os recursos do mar do Sul da China sejam partilhados entre os países que reivindicam a região. O objetivo do líder taiwanês é acalmar as tensas relações pelas riquezas naturais da região.


Sputnik

Ying-jeou afirmou que onde “a soberania não pode ser dividida, os recursos devem ser partilhados”. A ideia é que os países se unam para explorar conjuntamente o mar do Sul da China, uma região de 3,5 milhões de metros quadrados reivindicada por Taiwan, Brunei, Malásia, Vietnã, Filipinas e China.


Mar do Sul da China.
© REUTERS/ Ritchie B. Tongo

A proposta, porém, não deve conseguir apoio dos demais países, visto que Taiwan não é reconhecido como independente pela China e que não mantém relações diplomáticas com muitas nações.

As atividades chinesas no mar do Sul foram criticados recentemente por Washington. Pequim rechaçou as posições norte-americanas dizendo que os EUA não são parte nesta disputa. O ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, foi enfático na resposta. “Eu gostaria de reafirmar que a determinação da China para salvaguardar a sua integridade territorial e soberania é tão dura como uma rocha.”


Postar um comentário