Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Como o novo blindado ucraniano conseguiu o apelido de “Vergonha”?

O Exército ucraniano estava esperando receber os blindados "Dozor-B" em março, mas apenas um modelo de testes foi feito até então e já está quebrado.


Sputnik

Apesar das promessas do alto oficialato, as Forças Armadas da Ucrânia não parecem que irão receber os tão falados blindados "Dozor-B", disse o canal de notícias do país ZN.ua.


Dozor-B
© AP Photo/ SERGEY BOBOK

Na sexta-feira, a mídia ucraniana informou que o CEO da fábrica de armamentos de Lviv foi demitido em vista da inobservância dos planos de fabricação, incluindo o da produção dos "Dozors".

Ainda em junho de 2014, Oleksandr Turchynov, o comandante-em-chefe na época, garantiu que seu exército receberia 200 "Dozors" em breve. Em fevereiro de 2015, o chefe da Indústria de Defesa da Ucrânia prometeu que as entregas iriam começar em março. Recentemente ele alterou o anúncio para até o fim do verão.

Até agora nenhum "Dozor" entrou em serviço no exército do país.

"O modelo experimental foi supostamente concluído no início de 2015. Os trabalhadores o têm chamado de "Vergonha" ["Vergonha" é "Pozor" em russo, o que soa semelhante a "Dozor"- o nome do veículo]. Eles nos disseram que os guardas de fronteira dirigiram o "Dozor-B" na pista de testes de automóveis. O carro não retornou com sua própria energia", disse a ZN.ua.

A Indústria de Defesa da Ucrânia atribuiu a falta de financiamento e os problemas com o embarque de motores da Alemanha como as razões para o atraso.

A mídia local também recordou que em 3 de outubro o presidente Pyotr Poroshenko disparou uma bala de metralhadora de 7.62 mm na armadura do blindado para testá-la. Na época ele convenceu os jornalistas de que a armadura do veículo passara no teste, no entanto, a penetração superficial sugere que a armadura não foi temperada.


Postar um comentário