Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

Dassault Systemes pronta a ajudar Rússia a construir navios Mistral

A empresa francesa Dassault Systemes, especializada em soluções 3D para vários ramos da indústria, está disposta e colaborar com a Rússia na construção de um análogo do navio porta-helicópteros Mistral, informou o vice-presidente da Dassault Systemes para a indústria militar e aeroespacial, Michel Tellier.


Sputnik

A Dassault Systemes é uma das maiores empresas desenvolvedoras de soluções de design 3D para 12 setores da economia, nomeadamente para a indústria aeronáutica. Entre os clientes da Dassault Systemes estão a Boeing, Airbus, a Dassault Aviation (produtora dos caças franceses Rafale) e a empresa russa Sukhoi, que fabrica aviões militares. A Dassault Systemes também colabora com os estaleiros navais franceses DCNS, que recentemente construíram dois navios Mistral encomendados pela Rússia.


Porta-helicópteros Vladivostok, da classe Mistral
© AP Photo/ Laetitia Notarianni

"De acordo com as nossas obrigações internacionais e de maneira a continuar o trabalho de 10 anos de parceria, estamos dispostos a propor as nossas mais modernas tecnologias e soluções na área da modelação naval 3D a uma empresa russa de construção naval e ser um valioso parceiro tecnológico em sua estratégia de desenvolvimento", disse Michel Tellier respondendo a uma pergunta da RIA Novosti se a Dassault Systemes estaria pronta a ajudar a indústria naval russa com as suas tecnologias.

No entanto, Michel Tellier não quis responder à questão se a sua empresa participou ou não na projeção dos dois navios Mistral, embarcações que, devido à complexa situação geopolítica, a França se tem recusado a entregar à Rússia."A DCNS é nosso cliente em uma determinada área mas esta questão é confidencial", disse o vice-presidente da Dassault Systemes esta segunda-feira na feira aeroespacial Paris Air Show-2015, em Le Bourget.


Moscou e Paris assinaram um acordo de US$ 1,3 bilhões para dois porta-helicópteros da classe Mistral em 2011. A entrega do primeiro navio à Rússia estava prevista para novembro de 2014, mas nunca aconteceu. O presidente francês, François Hollande, colocou a entrega em espera devido a alegada interferência russa na crise ucraniana. O Kremlin negou veementemente as acusações e exortou Paris a cumprir as suas obrigações contratuais.

O primeiro navio de desembarque, Vladivostok, devia ter sido entregue pela França em 14 novembro de 2014. Já o segundo navio deveria ser entregue até o final de 2015.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas