Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

EUA ameaçam a Rússia ao colocar sistema da defesa aérea no mar Negro

Os Estados Unidos não planejam instalar permanente sistema de defesa aérea no mar Negro, mas, se for necessário, poderão fazer isso.


Sputnik

“Os Estados Unidos não planejam instalar permanente os sistemas de defesa aérea Aegis no mar Negro. Nós seguimos a Convenção de Montreux, que proíbe a implantação de forma permanente. Mas se houver qualquer circunstâncias imprevistas, temos a oportunidade de enviar pra lá os navios, equipados com o sistema de defesa aérea Aegis”, disse o secretário de Estado adjunto para Controle de armas, verificação e cumprimento, Frank Rose.





“Podemos enviá-los lá para proteger nossos aliados contra a ameaça de mísseis balísticos. E como vocês sabem, houve vários casos quando enviamos os navios para o mar Negro, mas para outras missões”, acrescentou ele, relata RIA Novosti.

Mais cedo, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, confirmou a intenção americana de posicionar 250 tanques em sete países do Leste Europeu e dos Bálcãs.

Em resposta ao posicionamento de armas do Estados Unidos no Leste Europeu a Rússia pode fortalecer sua presença militar no enclave báltico de Kaliningrado, afirmou um parlamentar russo.

Segundo comunicou reiteradas vezes o Ministério da Defesa da Rússia, durante o último ano e meio a intensidade da preparação militar das tropas da OTAN junto às fronteiras da Rússia aumentou consideravelmente após acusações de interferência russa na crise ucraniana. Moscou negou as alegações e agora enfatiza que a expansão militar em direção às fronteiras russas prejudicam a segurança regional e aumenta as tensões.


Postar um comentário