Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

França convoca embaixatriz dos EUA após revelações de espionagem

Jane Hartley foi chamada de volta pelo chanceler francês Laurent Fabius.
WikiLeaks revelou que EUA espionaram os últimos 3 presidentes franceses.


France Presse

A embaixatriz dos Estados Unidos na França, Jane Hartley, foi convocada nesta quarta-feira (24) pelo chanceler francês Laurent Fabius, após a revelação de que o governo americano espionou os três últimos presidentes franceses, informaram fontes diplomáticas.



A medida foi adotada após uma reunião do Conselho de Defesa nesta quarta, com a presença do presidente François Hollande e de seus principais ministros nas áreas militar e de inteligência.

"A França não tolerará nenhum ato que questione sua segurança", afirmou presidência ao fim da reunião de emergência.

"Os compromissos assumidos pelas autoridades americanas, que se comprometeram no fim de 2013 a não espionar mais os aliados, devem ser recordados e estritamente respeitados", destaca um comunicado da presidência, que condena "atos inaceitáveis".

O Conselho de Defesa foi convocado na terça-feira à noite por Hollande, depois que a imprensa francesa revelou que o governo dos Estados Unidos espionou as conversas de Hollande e de seus antecessores, Nicolas Sarkozy e Jacques Chirac.

A reunião contou com as presenças de Hollande, do primeiro-ministro Manuel Valls, vários ministros e os comandantes militares e da área de inteligência.

A espionagem americana dos últimos três presidentes da França, revelada pelo jornal Liberation e pelo site de notícias Mediapart com base em informações do WikiLeaks, foi condenada por todos os partidos, ligados ao governo ou de oposição.

A Casa Branca afirmou que não espiona as comunicações de Hollande.


Postar um comentário