Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Kiev e OTAN criam forças de operações especiais

A Ucrânia e a OTAN começarão em breve a realizar um projeto para criar forças de operações especiais, declarou o embaixador de Kiev na Aliança, Igor Dolgov.


Sputnik

"Começará em breve a realização de um projeto conjunto com a OTAN para criar forças de operações especiais dentro das Forças Armadas da Ucrânia", disse Dolgov em uma reunião do conselho interparlamentar Ucrânia-OTAN em Kiev. As forças "estarão dotadas com equipamentos especiais", completou.


Paracaidista de EEUU, pacificador de OTAN en Kosovo
© AP Photo/ Visar Kryeziu

Segundo Dolgov, a criação das forças especiais está prevista pelo programa de cooperação entre a Ucrânia e a OTAN para o ano de 2015.

A Rada Suprema (parlamento ucraniano) aprovou em dezembro uma série de emendas que supõem a renúncia ao status não alinhado, o que torna possível a entrada da Ucrânia na OTAN.

O programa de cooperação de Kiev com a Aliança estipula a modernização dos meios de comunicação, a homologação das Forças Armadas ucranianas aos padrões da OTAN, a reciclagem e a adaptação social dos militares ucranianos, a reabilitação física dos militares ucranianos feridos, assim como questões de logística, ciberproteção e outros.


Postar um comentário