Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Kiev e OTAN criam forças de operações especiais

A Ucrânia e a OTAN começarão em breve a realizar um projeto para criar forças de operações especiais, declarou o embaixador de Kiev na Aliança, Igor Dolgov.


Sputnik

"Começará em breve a realização de um projeto conjunto com a OTAN para criar forças de operações especiais dentro das Forças Armadas da Ucrânia", disse Dolgov em uma reunião do conselho interparlamentar Ucrânia-OTAN em Kiev. As forças "estarão dotadas com equipamentos especiais", completou.


Paracaidista de EEUU, pacificador de OTAN en Kosovo
© AP Photo/ Visar Kryeziu

Segundo Dolgov, a criação das forças especiais está prevista pelo programa de cooperação entre a Ucrânia e a OTAN para o ano de 2015.

A Rada Suprema (parlamento ucraniano) aprovou em dezembro uma série de emendas que supõem a renúncia ao status não alinhado, o que torna possível a entrada da Ucrânia na OTAN.

O programa de cooperação de Kiev com a Aliança estipula a modernização dos meios de comunicação, a homologação das Forças Armadas ucranianas aos padrões da OTAN, a reciclagem e a adaptação social dos militares ucranianos, a reabilitação física dos militares ucranianos feridos, assim como questões de logística, ciberproteção e outros.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas