Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Mídia norte-americana: divisão militar secreta mata legalmente nos EUA

A divisão 6 da unidade SEAL (na sigla em inglês) da Marinha dos EUA é uma das divisões militares da resposta rápida mais secretas do mundo, que nos últimos anos se tornou numa “máquina de matar” pouco controlada pelos chefes políticos ou militares, opina a mídia norte-americana.


Sputnik

A pequena divisão foi criada para cumprir missões especiais esporádicas, a mais famosa das quais foi a eliminação do chefe da Al-Qaeda, Osama bin Laden. O secretismo de tudo que tem a ver com a divisão 6 da unidade SEAL (SEAL Team 6, em inglês) é enorme – o Pentágono até nem reconhece publicamente o nome da divisão.


Navy SEAL operators awaited a night mission to capture insurgent leaders near Falluja, Iraq, in July 2007. CreditJohn Moore/Getty Images

Segundo o jornal The New York Times, durante décadas este pequeno grupo tem se tornado numa “máquina de matar mundial” para eliminar os “rivais dos EUA”:

“Esse papel reflete a nova maneira norte-americana de conduzir a guerra, em que o conflito é caraterizado não por vitórias e derrotas no campo de batalha, mas por mortes inexoráveis de supostos inimigos.”

O ex-senador Bob Kerry, que foi soldado da unidade SEAL durante a guerra no Vietnã, disse que a SEAL Team 6 foi criada para cumprir missões esporádicas mas que agora se tornou “numa espécie de número 1-800 [número de telefone gratuito – ed.] para as situações quando alguém quer algo bem feito”.

Segundo declararam ex-soldados da divisão especial, por várias semanas eles tinham que sair para o trabalho todas as noites. O inquérito da The New York Times revelou que, durante operações da liquidação de terroristas, a SEAL Team 6 também matou civis. De acordo com especialistas, as operações do grupo são extremamente violentas, o que pode ser explicado pela falta de regras claras de funcionamento da SEAL Team 6.

A publicação norte-americana também nota que as atividades do grupo militar de "elite" na verdade praticamente não são controladas. Um alto oficial militar, que pediu o anonimato, disse que o Comando de Operações Especiais Conjuntas (JSOC na sigla em inglês) dos EUA, que é responsável pela SEAL Team 6, é virtualmente independente, e os políticos, por sua vez, não estão interessados nas atividades da unidade.



Postar um comentário