Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Mídia norte-americana: divisão militar secreta mata legalmente nos EUA

A divisão 6 da unidade SEAL (na sigla em inglês) da Marinha dos EUA é uma das divisões militares da resposta rápida mais secretas do mundo, que nos últimos anos se tornou numa “máquina de matar” pouco controlada pelos chefes políticos ou militares, opina a mídia norte-americana.


Sputnik

A pequena divisão foi criada para cumprir missões especiais esporádicas, a mais famosa das quais foi a eliminação do chefe da Al-Qaeda, Osama bin Laden. O secretismo de tudo que tem a ver com a divisão 6 da unidade SEAL (SEAL Team 6, em inglês) é enorme – o Pentágono até nem reconhece publicamente o nome da divisão.


Navy SEAL operators awaited a night mission to capture insurgent leaders near Falluja, Iraq, in July 2007. CreditJohn Moore/Getty Images

Segundo o jornal The New York Times, durante décadas este pequeno grupo tem se tornado numa “máquina de matar mundial” para eliminar os “rivais dos EUA”:

“Esse papel reflete a nova maneira norte-americana de conduzir a guerra, em que o conflito é caraterizado não por vitórias e derrotas no campo de batalha, mas por mortes inexoráveis de supostos inimigos.”

O ex-senador Bob Kerry, que foi soldado da unidade SEAL durante a guerra no Vietnã, disse que a SEAL Team 6 foi criada para cumprir missões esporádicas mas que agora se tornou “numa espécie de número 1-800 [número de telefone gratuito – ed.] para as situações quando alguém quer algo bem feito”.

Segundo declararam ex-soldados da divisão especial, por várias semanas eles tinham que sair para o trabalho todas as noites. O inquérito da The New York Times revelou que, durante operações da liquidação de terroristas, a SEAL Team 6 também matou civis. De acordo com especialistas, as operações do grupo são extremamente violentas, o que pode ser explicado pela falta de regras claras de funcionamento da SEAL Team 6.

A publicação norte-americana também nota que as atividades do grupo militar de "elite" na verdade praticamente não são controladas. Um alto oficial militar, que pediu o anonimato, disse que o Comando de Operações Especiais Conjuntas (JSOC na sigla em inglês) dos EUA, que é responsável pela SEAL Team 6, é virtualmente independente, e os políticos, por sua vez, não estão interessados nas atividades da unidade.



Postar um comentário