Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Moscou: instalação de mísseis dos EUA na Europa minará o ato Rússia-OTAN

A instalação de equipamentos militares dos EUA na "ala leste" da OTAN minará a principal cláusula do Ato Fundador Rússia-OTAN de 1997, informou nesta sexta-feira o serviço de imprensa do ministério das Relações Exteriores da Rússia.


Sputnik

"O aparecimento desse tipo de informações confirma as suspeitas de que os EUA, juntamente com seus aliados, estão seriamente determinados em minar a disposição central do Ato Fundador Rússia-OTAN de 1997, segundo a qual a aliança se compromete em caráter permanente a não enviar significativas forças de combate aos países citados" – diz o comunicado da chancelaria russa.


RIM-161 Standard SM-3

O informe destaca ainda que Moscou tem esperanças de que a presente situação na Europa seja contida de forma a "não evoluir para uma nova confrontação militar, que poderia ter consequências perigosas".

A agência americana Associated Press informou na semana passada que a administração dos EUA está considerando a possibilidade de instalação de mísseis nucleares na Europa em resposta às alegadas violações do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio (INF) por parte da Rússia. O Kremlin está acompanhando de perto esta situação.

Os diplomatas russos também têm sérias preocupações sobre os planos dos EUA da implantação na Romênia e Polônia das instalações de mísseis de lançamento vertical, que podem lançar mísseis RIM-161 (SM-3) e mísseis de cruzeiro de médio alcance Tomahawk.



Postar um comentário