Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Rússia apresenta sua força militar na exposição Army 2015

A Rússia abriu seu "supermercado militar" Army 2015 (Exército 2015) na região de Moscou, cidade de Kubinka, esta terça-feira, 16. O evento conta com a participação de representantes de 70 países que poderão comprar armas e equipamento militar russo.


Sputnik

O evento internacional Army 2015, organizado pelo Ministério da Defesa, a Agência Espacial da Rússia Roscosmos e o consórcio estatal de tecnologia Rostec, é realizado entre os dias 16-19 de junho.

A exposição de armas inclui desde modernos navios e sistemas de armas até leilões de equipamentos em segunda mão, acessíveis ao público em geral. Para além das empresas da Rússia, a exposição conta com empresas de 20 outros países, inclusive da China, Alemanha, França e Coreia do Sul.


"O complexo recém-construído pode ser chamado de 'supermercado militar' onde representantes das forças armadas de diversos países podem observar, experimentar e depois comprar armamentos e equipamento militar", divulgou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, durante a cerimônia de abertura.

Segundo o chefe do Serviço Federal para a Cooperação Técnica-Militar russo, o atual volume de exportação de armamentos russos é US$50 bilhões.

"A empresa Uralvagonzavod tem um pavilhão na exposição Army 2015. Temos expostos seis equipamentos", escreveu na sua conta em Twitter o diretor geral da empresa, Aleksei Zharich.

Um dos primeiros contratos assinados na exposição militar foi com o Ministério da Defesa da Bielorrússia que comprou 12 helicópteros de transporte Mi-8MTV-5. Eles podem ser usados não só para fins de transporte, mas também em combate.

O presidente russo, Vladimir Putin, durante o discurso na cerimônia de abertura de Army 2015, prometeu continuar a modernização das Forças Armadas russas e introduzir de 75 a 100 por centos de equipamento novo até 2020.

Putin sublinhou que armamento e equipamento russos continuam muito procurados no mercado internacional:

"É óbvio que a eficiência do complexo militar-industrial russo é o recurso mais importante para o crescimento da economia. E mais do que isso, é a indústria de defesa que deve elevar ainda mais os padrões para a tecnologia e produção enquanto continuar como um dos líderes no desenvolvimento de inovações, inclusive as de uso civil".

Ele também disse que a Rússia começou desde abril usar um novo radar além-do-horizonte de alerta precoce que vai monitorar lançamentos de mísseis na direção ocidental da Rússia. O radar de alerta precoce deve passar testes estatais durante os próximos meses.

Empresas de construção naval apresentaram vários projetos novos, inclusive um navio porta-helicóperos Priboi que deverá substituir os navios tipo Mistral, cujo fornecimento foi adiado pela França. A construção do novo tipo de porta-helicópteros começará em 2016, o navio poderá transportar até oito helicópteros, 500 soldados e entre 40 e 60 veículos.

Sistema antimísseis Líder

Um outro projeto, o interceptor de mísseis Lider, apresentado na exposição, será armado com 60 mísseis antinavio, 128 mísseis balísticos e 16 mísseis antisubmarino. Ele poderá operar autonomamente durante cerca de 90 dias.

O comandante da Marinha da Arábia Saudita, almirante Ibrahim Nasi, disse que o seu país está interessado em navios russos, especialmente nas corvetas da classe Steregushchy.

Classe Steregushchy

"Sim, estamos interessados, é por isso que estamos aqui, e não estamos falando apenas sobre a Marinha. Estamos interessados em fragatas, corvetas e navios de patrulha. É muito cedo para comparar preços, avaliar a logística, só depois de fazer isso podemos tomar decisões práticas".

Além da Arábia Saudita, Rússia está atualmente em negociações com a Índia e Malásia sobre a entrega de equipamentos navais.



Postar um comentário