Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Rússia apresenta sua força militar na exposição Army 2015

A Rússia abriu seu "supermercado militar" Army 2015 (Exército 2015) na região de Moscou, cidade de Kubinka, esta terça-feira, 16. O evento conta com a participação de representantes de 70 países que poderão comprar armas e equipamento militar russo.


Sputnik

O evento internacional Army 2015, organizado pelo Ministério da Defesa, a Agência Espacial da Rússia Roscosmos e o consórcio estatal de tecnologia Rostec, é realizado entre os dias 16-19 de junho.

A exposição de armas inclui desde modernos navios e sistemas de armas até leilões de equipamentos em segunda mão, acessíveis ao público em geral. Para além das empresas da Rússia, a exposição conta com empresas de 20 outros países, inclusive da China, Alemanha, França e Coreia do Sul.


"O complexo recém-construído pode ser chamado de 'supermercado militar' onde representantes das forças armadas de diversos países podem observar, experimentar e depois comprar armamentos e equipamento militar", divulgou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, durante a cerimônia de abertura.

Segundo o chefe do Serviço Federal para a Cooperação Técnica-Militar russo, o atual volume de exportação de armamentos russos é US$50 bilhões.

"A empresa Uralvagonzavod tem um pavilhão na exposição Army 2015. Temos expostos seis equipamentos", escreveu na sua conta em Twitter o diretor geral da empresa, Aleksei Zharich.

Um dos primeiros contratos assinados na exposição militar foi com o Ministério da Defesa da Bielorrússia que comprou 12 helicópteros de transporte Mi-8MTV-5. Eles podem ser usados não só para fins de transporte, mas também em combate.

O presidente russo, Vladimir Putin, durante o discurso na cerimônia de abertura de Army 2015, prometeu continuar a modernização das Forças Armadas russas e introduzir de 75 a 100 por centos de equipamento novo até 2020.

Putin sublinhou que armamento e equipamento russos continuam muito procurados no mercado internacional:

"É óbvio que a eficiência do complexo militar-industrial russo é o recurso mais importante para o crescimento da economia. E mais do que isso, é a indústria de defesa que deve elevar ainda mais os padrões para a tecnologia e produção enquanto continuar como um dos líderes no desenvolvimento de inovações, inclusive as de uso civil".

Ele também disse que a Rússia começou desde abril usar um novo radar além-do-horizonte de alerta precoce que vai monitorar lançamentos de mísseis na direção ocidental da Rússia. O radar de alerta precoce deve passar testes estatais durante os próximos meses.

Empresas de construção naval apresentaram vários projetos novos, inclusive um navio porta-helicóperos Priboi que deverá substituir os navios tipo Mistral, cujo fornecimento foi adiado pela França. A construção do novo tipo de porta-helicópteros começará em 2016, o navio poderá transportar até oito helicópteros, 500 soldados e entre 40 e 60 veículos.

Sistema antimísseis Líder

Um outro projeto, o interceptor de mísseis Lider, apresentado na exposição, será armado com 60 mísseis antinavio, 128 mísseis balísticos e 16 mísseis antisubmarino. Ele poderá operar autonomamente durante cerca de 90 dias.

O comandante da Marinha da Arábia Saudita, almirante Ibrahim Nasi, disse que o seu país está interessado em navios russos, especialmente nas corvetas da classe Steregushchy.

Classe Steregushchy

"Sim, estamos interessados, é por isso que estamos aqui, e não estamos falando apenas sobre a Marinha. Estamos interessados em fragatas, corvetas e navios de patrulha. É muito cedo para comparar preços, avaliar a logística, só depois de fazer isso podemos tomar decisões práticas".

Além da Arábia Saudita, Rússia está atualmente em negociações com a Índia e Malásia sobre a entrega de equipamentos navais.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas