Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

Rússia pode fortalecer presença militar em Kaliningrado

De acordo com um parlamentar russo, o país pode reforçar sua presença no enclave báltico de Kaliningrado em resposta ao posicionamento de armas americanas na Europa.


Sputnik

A Rússia pode fortalecer sua presença militar no enclave báltico de Kaliningrado em resposta ao posicionamento de armas do Estados Unidos no Leste Europeu, afirmou um parlamentar russo nesta terça-feira.


Flying Su-27 fighters in the Kaliningrad region
© Sputnik/ Igor Zarembo

Mais cedo, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, confirmou a intenção americana de posicionar 250 tanques em sete países do Leste Europeu e dos Bálcãs.

“Isto será primeiramente refletido no princípio do aquartelamento territorial de nossas tropas no território de nosso país, inclusive, acredito, a região de Kaliningrado”, disse o vice-líder do Comitê de Defesa do parlamento russo, Sergey Zhigarev, à rádio russa Govorit Moskva.

A OTAN aumentou sua presença militar ao longo das fronteiras com a Rússia após acusações de interferência russa na crise ucraniana. Moscou seguidamente negou as alegações e enfatiza que a expansão militar em direção às fronteiras russas prejudicam a segurança regional e aumenta as tensões.


Postar um comentário