Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Embraer e Boeing acertam termos de parceria

Acordo prevê criação de uma nova empresa de aviação comercial, com 80% de participação da gigante americana. Boeing vai pagar 4,2 bilhões de dólares aos brasileiros. Transação precisa ser aprovada pelo governo federal.
Deutsch Welle

A Embraer e a gigante americana Boeing anunciaram nesta segunda-feira (17/12) a aprovação dos termos de uma parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial. A execução do acerto ainda precisa do aval do governo brasileiro.


De acordo com a proposta, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture pelo valor de 4,2 bilhões de dólares, enquanto a fabricante brasileira ficará com os 20% restantes.

"A expectativa é de que a parceria não terá impacto no lucro por ação da Boeing em 2020, passando a ter impacto positivo nos anos seguintes", diz um comunicado conjunto da Embraer e da Boeing divulgado para investidores.

As duas empresas informaram que a joint venture criada para a fabricação de aviões comerciais, que deve absorver toda a operação…

Sessentona, a ‘Imperial dos Mares’ deixa o setor operativo para virar guardiã da memória da Marinha

Poder Naval

Uma portaria do Comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Eduardo Leal Ferreira, datada da última sexta-feira, 5 de junho, determinou a baixa da corveta Imperial Marinheiro (V15) – navio de construção holandesa que a MB incorporou em 1955 – e redefiniu seu destino: a partir de 5 de agosto, o navio, que cumpriu uma das trajetórias mais ecléticas da Força Naval brasileira, continuará prestando serviço como navio-museu na área do 5º Distrito Naval.

Conhecida entre seus tripulantes como a “Imperial dos Mares”, a corveta desloca pouco mais de 900 toneladas.


Imperial Marinheiro - foto NGB

Em seus 60 anos de travessias, prontidões, patrulhamentos e salvamentos, ela esteve alocada à Força de Submarinos – como navio de apoio aos submarinos –, foi empenhada em diversas edições da Operação Unitas, atuou como navio do SALVAMAR e cumpriu papel relevante em missões de cooperação com a Força Aérea Brasileira e com o Exército.

Nos últimos 31 anos a Imperial Marinheiro integrou a flotilha do Grupamento Naval do Sul.

O Poder Naval se congratula com um navio que é símbolo do espírito de sacrifício e permanente estado de prontidão dos nossos militares do mar.

Bravo Zulu!

Abaixo reproduzimos o texto da portaria de 5 de junho:

COMANDO DA MARINHA

GABINETE DO COMANDANTE

PORTARIA N 249/MB, DE 5 DE JUNHO DE 2015

Baixa do Serviço Ativo da Armada da Corveta “Imperial Marinheiro” e dá outras providências.

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4º da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010, e o art. 26, inciso V, do Anexo I ao Decreto nº 5.417, de 13 de abril de 2005, resolve:
Art. 1º. Dar baixa do Serviço Ativo da Armada na Corveta “Imperial Marinheiro”.
Art. 2º. O casco da Corveta “Imperial Marinheiro” deverá ser convertido em Navio-Museu, mantendo sua subordinação ao Com5ºDN.
Art. 3º. O ComOpNav baixará os atos complementares que se fizerem necessários à execução desta Portaria.
Art. 4º. Esta Portaria entra em vigor no dia 3 de agosto de 2015.

EDUARDO BACELLAR LEAL FERREIRA


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas