Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Caça F-22 dos EUA faz pouso de emergência no Alasca

Nesta quarta-feira (11), um caça de quinta geração F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA fez um pouso de emergência em uma base militar no Alasca, de acordo com a agência AP.
Sputnik

De acordo com a agência, a aeronave aterrissou na base de Elmendorf-Richardson, na cidade de Anchorage, devido a uma falha no funcionamento do chassi de aterrissagem.

As imagens do acidente divulgadas pelo Facebook demonstram que uma das rodas não saiu e a aeronave acabou pousando sobre sua asa esquerda.

O piloto saiu ileso. Entretanto, a porta-voz da Força Aérea dos EUA, Erin Eaton, informou sobre o início de uma investigação da ocorrência.

Outros acidentes

O avião F-22 é um caça bimotor monolugar produzido pela corporação norte-americana Lockheed Martin. A Força Aérea dos EUA conta com 186 aeronaves do modelo.

Em abril, foi registrada uma falha de motor em um F-22 durante a decolagem da base aérea de Fallon, como resultado a aeronave acabou caindo sobre a pista.

Outro acidente, que também ocorreu em abril, teve lu…

Vice-ministro da Defesa da Rússia: OTAN está empurrando Moscou para corrida armamentista

Os países da OTAN estão provocando a Rússia para uma nova corrida armamentista, segundo disse hoje (16) à Sputnik o vice-ministro da Defesa russo Anatoly Antonov.


Sputnik

Mais cedo nesta terça-feira, a secretário da Força Aérea dos EUA, Deborah Lee James, disse em Paris que os EUA poderiam aumentar ainda mais o número de suas forças de rotação na Europa em meio a uma suposta “ameaça” representada pela Rússia. Na mesma declaração, ela admitiu que, com tais “razões” em mente, Washington considera inclusive a possibilidade de implantar caças furtivos F-22 Raptor na Europa.




Para Antonov, entrevistado nos arredores de Moscou às margens do fórum militar internacional Army-2015, os comentários de Lee James precisam ser vistos “junto com outras declarações deste tipo que têm sido feitas muitas vezes nos últimos tempos”.

O vice-ministro lembrou particularmente que, há apenas dois dias, houve anúncios “pouco claros” a respeito de mísseis nucleares dos EUA e da possibilidade de o Pentágono implantar armas pesadas em alguns países da Europa Oriental, bem como nos países bálticos.

“Há uma sensação de que os nossos colegas dos países da OTAN estão nos empurrando para uma corrida armamentista", concluiu Antonov.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas