Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Caça J-10 chinês é derrotado por F-16 paquistanês no ‘Exercise Eagle’

Poder Aéreo

A China e o Paquistão realizaram há alguns meses um exercício de combate aéreo chamado “Exercise Eagle”. Todas as informações obtidas sobre o exercício indicam que ocorreram combates simulados entre os caças chineses J-10 e os F-16 paquistaneses. Na maioria das vezes, o J-10 teria sido derrotado pelo F-16.


J-10 chinês no HUD de um F-16 do Paquistão

A imagem de baixa qualidade divulgada mostra um J-10 chinês travado no HUD de um F-16 paquistanês, o que significaria a destruição do J-10 se o combate fosse real.

O J-10 e o F-16 são muito parecidos em termos de tamanho e desempenho e teoricamente o J-10 teria um raio de curva menor, por causa dos canards. Mas o nível de treinamento dos pilotos chineses deve ter pesado no resultado, pois a China não enfrenta combates aéreos reais há muitas décadas, ao contrário do Paquistão, que treina com a OTAN.

A China parece não ter medo da derrota e está muito ativa na busca de exercícios com outras forças aéreas nos últimos anos, para aprender e buscar a melhora da qualidade dos seus pilotos.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas