Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

China nega plano de construir base militar nas Maldivas

O governo chinês não está planejando construir bases militares nas Maldivas, que aprovaram legislação na última semana permitindo a posse de terra a estrangeiros. A oposição se preocupava com a possibilidade de Pequim utilizar terrenos para sua expansão militar.


Sputnik

A nova legislação permite que estrangeiros possuam terrenos na ilha do Oceano Índico desde que 70% da área seja consequência de aterramento.


The sun sets over vacation cottages in the Maldives.
© AP Photo/ Kelly Shannon

O Partido Democrático das Maldivas, que fez oposição à reforma legislativa, afirmou que a lei daria "acesso sem precedentes a grupos estrangeiros para estabelecer operações nas Maldivas." Um integrante do partido acusou o governo de facilitar uma presença chinesa mais forte no Oceano Índico.

O Ministério de Relações Exteriores da China, em declaração enviada à agência Reuters, afirmou que a votação era um problema interno das Maldivas e que a China buscava boas relações com o país conhecido por hotéis de luxo e locais para mergulho.

A China "sempre respeitou e apoiou as Maldivas", disse o Ministério. "O que pessoas relevantes disseram sobre a China construir bases nas Maldivas é completamente sem fundamento."

Analistas apontam que a ansiedade em torno das intenções militares da China ganharam força com a construção de uma rede de portos no Oceano Índico. Há quem tema que o plano de Pequim seja estabelecer postos de escuta eletrônica na região, incluindo Myanmar, Bangladesh, Paquistão e Sri Lanka.

Na tentativa de acalmar os ânimos, Pequim afirmou várias vezes que não quer instalar bases militares no estrangeiro.


Postar um comentário