Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Embaixador americano na Alemanha é convocado para explicar espionagem

Diplomata foi convidado a comparecer na chancelaria alemã.
WikiLeaks indicou que EUA espionaram vários ministros alemães.


France Presse

O embaixador dos Estados Unidos na Alemanha foi "convidado" nesta quinta-feira (2) a comparecer na chancelaria para dar explicações sobre as revelações do Wikileaks indicando que a inteligência americana espionou vários ministros alemães.

Embaixador John Emerson

John Emerson foi convidado "a uma entrevista" com o ministro da Chancelaria Peter Altmaier, responsável por casos ligados à inteligência, indicou o porta-voz da chancelaria alemã, Steffen Seibert, em um comunicado.

Segundo os documentos revelados pelo Wikileaks e citados na quarta-feira pelo jornal "Süddeutsche Zeitung", a NSA americana não só espionou a chanceler Angela Merkel, como também o fez com os ministros das Finanças, Economia e Agricultura.

Altmaier indicou claramente ao embaixador que "o respeito do direito alemão era indispensável e que as violações comprovadas seriam processadas", indicou Seibert.

Segundo ele, a "indispensável cooperação entre os serviços secretos alemães e americanos é afetada por esses repetidos incidentes". A Alemanha tem reforçado suas defesas contra a espionagem desde o ano passado, acrescentou.

"Esta não é uma convocação oficial", ressaltou, no entanto, o site da revista Der Spiegel, chamando de "prudente" e até mesmo "relutante" a reação alemã a estas novas revelações.

A procuradoria federal de Karlsruhe (sudoeste), que conduziu a investigação sobre a escuta do telefone celular de Angela Merkel, anunciou nesta quinta em um comunicado que examinaria as novas revelações.


Postar um comentário