Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Especialista: nova bomba nuclear ‘atingirá’ os próprios EUA

O especialista militar americano na área da defesa antimíssil Theodore Postol opinou que a modernização da bomba B61-12 pelos Estados Unidos pode levar a Rússia e a China a criar novas armas estratégicas.


Sputnik

Na entrevista à emissora Sputnik, o professor emérito do Instituto de Tecnologia de Massachusetts em ciência, tecnologia e política de segurança nacional Theodore Postol disse:

"A possibilidade do uso militar do armamento é baseado na ideia imaginada e estranha de que os EUA podem lutar e vencer nas guerras atômicas. Este tipo de armas nunca poderá ser usado na realidade contra um Estado que possui armas nucleares porque provocaria uma escalada nuclear incontrolável."


Estados Unidos (EUA) testam armas nucleares em Nevada


Lembramos que a bomba B61-12 sem ogiva foi testada várias vezes por um caça F-15E a partir do polígono de Tonopah em Nevada, no oeste do país. 
Segundo especialistas internacionais, o teste tem a ver com a modernização prevista do arsenal nuclear dos Estados Unidos na Europa. O professor Postol declarou que os passos para modernizar esta bomba incontrolável provavelmente levarão a resultados desagradáveis, com consequências imprevisíveis para os políticos americanos.

"Este é mais um exemplo de que o programa de modernização nuclear dos EUA continua minando a segurança dos EUA e dos aliados."

O especialista militar também advertiu os políticos de que o uso da bomba contra países sem arsenal nuclear também poderá levar a resultados imprevisíveis. Ele está seguro de que a modernização da bomba é "um sinal errado para a Rússia, já irritada com o progresso constante dos EUA na área de capacidades nucleares, e para a China que, apesar de provocações constantes, tenta manter uma posição razoável de dissuasão mínima".

Postar um comentário