Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Especialista: nova bomba nuclear ‘atingirá’ os próprios EUA

O especialista militar americano na área da defesa antimíssil Theodore Postol opinou que a modernização da bomba B61-12 pelos Estados Unidos pode levar a Rússia e a China a criar novas armas estratégicas.


Sputnik

Na entrevista à emissora Sputnik, o professor emérito do Instituto de Tecnologia de Massachusetts em ciência, tecnologia e política de segurança nacional Theodore Postol disse:

"A possibilidade do uso militar do armamento é baseado na ideia imaginada e estranha de que os EUA podem lutar e vencer nas guerras atômicas. Este tipo de armas nunca poderá ser usado na realidade contra um Estado que possui armas nucleares porque provocaria uma escalada nuclear incontrolável."


Estados Unidos (EUA) testam armas nucleares em Nevada


Lembramos que a bomba B61-12 sem ogiva foi testada várias vezes por um caça F-15E a partir do polígono de Tonopah em Nevada, no oeste do país. 
Segundo especialistas internacionais, o teste tem a ver com a modernização prevista do arsenal nuclear dos Estados Unidos na Europa. O professor Postol declarou que os passos para modernizar esta bomba incontrolável provavelmente levarão a resultados desagradáveis, com consequências imprevisíveis para os políticos americanos.

"Este é mais um exemplo de que o programa de modernização nuclear dos EUA continua minando a segurança dos EUA e dos aliados."

O especialista militar também advertiu os políticos de que o uso da bomba contra países sem arsenal nuclear também poderá levar a resultados imprevisíveis. Ele está seguro de que a modernização da bomba é "um sinal errado para a Rússia, já irritada com o progresso constante dos EUA na área de capacidades nucleares, e para a China que, apesar de provocações constantes, tenta manter uma posição razoável de dissuasão mínima".

Postar um comentário

Postagens mais visitadas