Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

EUA não querem cooperação técnico-militar do Vietnã com a Rússia

Peritos militares dos EUA têm mostrado interesse crescente no Vietnã à baía Cam Ranh. Contemplam tanto a sua localização geográfica vantajosa perto das ilhas disputadas no Mar da China Meridional, quanto a sua capacidade de receber navios de grande tamanho, incluindo submarinos e porta-aviões, devido às águas muito profundas da baía.


Sputnik

Os norte-americanos estão muito bem informados sobre as vantagens da baía Cam Ranh, porque durante a agressão no Vietnã eles tinham lá uma base militar sua.

A vista para Hanoi
© AFP 2015/ HOANG DINH Nam

Mas não só os americanos. A Rússia também conhece muito bem a baía desde 1905, quando pela primeira vez foram recebidos os navios do Império Russo.

60 anos depois, americanos vieram em Cam Ranh e estabeleceram ali uma base militar, um porto e aeroporto. E em 1979 a União Soviética e o Vietnã assinaram um acordo sobre o uso de Cam Ranh para estacionamento temporário de navios e aeronaves da Marinha Soviética. O assunto da possibilidade de retorno da Rússia a Cam Ranh foi levantada nas negociações dos primeiros-ministros dos dois países em 2012. E logo depois, em 2014 o Vietnã estabeleceu um procedimento que simplifica a entrada dos navios russos à baía.

Tudo isso provocou uma reação negativa dos Estados Unidos que estão procurando aumentar a sua atividade política e presença militar na região do Mar da China Meridional. Estados Unidos pediram que o Vietnã não preste nenhum serviço aos navios e aeronaves russos na baía para evitar tensões.

Esta posição deixou perplexo o Ministério das Relações Exteriores russo, que reagiu assim: "É muito estranho ouvir tais declarações de representantes de um Estado cujas Forças Armadas são implantadas de base permanente em uma série de países da Ásia-Pacífico, e que continua aumentando o seu nível de atividade militar na região".

O especialista militar vietnamita coronel Le The Mau, contatado pela Sputnik, observou que as pretensões dos EUA sobre Cam Ranh são absolutamente infundadas:

"O Vietnã mantém cooperação técnico-militar com muitos países. Mas em primeiro lugar temos a cooperação com a Rússia… Este é o nosso parceiro mais confiável que fornece para o Vietnã armas e equipamentos mais eficazes, submarinos em particular".

"Sabemos muito bem das vantagens estratégicas de Cam Ranh e vamos continuar a usá-la para reforçar a defesa do país. Portanto, nunca permitiremos que qualquer país utilize Cam Ranh contra um país terceiro. O Vietnã é capaz de monitorar a atividade militar no Mar da China Meridional por sua própria conta", frisou o coronel.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas