Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

EUA planejam corte de 40 mil soldados para cortar gastos

O Exército dos EUA planeja cortar 40 mil soldados de suas fileiras ao longo dos próximos dois anos, em medida que virtualmente deve afetar todos os postos nacionais e estrangeiros do país, segundo informou o jornal USA Today.


Sputnik

O diário citou um documento ao qual teve acesso, que entraria em vigor esta semana e segundo o qual os cortes estavam sendo feitos para economizar verbas.


Soldados norte-americanos no Afeganistão
© AFP 2015/ Johannes EISELE

Pelo menos 17 mil civis que trabalham para o Exército norte-americano também serão demitidos, segundo disse um funcionário da Defesa à agência de notícias AFP, confirmando a reportagem do jornal.

Sob o novo plano, o Exército dos EUA terá 450 mil soldados no final do ano orçamentário de 2017. Segundo o USA Today, em 2013 os militares norte-americanos argumentaram em documentos orçamentais que se o país ficasse com menos de 450 mil soldados, isso poderia significar a impossibilidade de os EUA vencerem uma guerra.

Em comparação, o Exército chegou a ter 570 mil homens e mulheres durante o pico dos combates no Iraque e no Afeganistão, também de acordo com o jornal.

A publicação relata ainda que cortes orçamentários generalizados do governo começarão a fazer efeito em outubro e que, se o Congresso não evitar a medida, o Exército norte-americano terá que demitir outros 30 mil soldados além dos 40 mil que já estão fadados a aposentar a farda.


Postar um comentário