Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Forças de Donetsk acusam Kiev de utilizar armas químicas

Forças ucranianas usaram bombas químicas nos ataques contra a cidade de Semiónovka, no leste do país, segundo disse neste domingo o primeiro ministro adjunto da Defesa da auto-proclamada República Popular de Donetsk (RPD), Sergey Shamberin.


Sputnik

"Em vários casos, os ataques foram realizados com o uso de diversas bombas químicas contra nossas posições", disse Shamberin segundo citado pela agência de notícias local.


Vila de Semyonovka, na Ucrânia destruída após ataque
Vila de Semyonovka destruída após ataque © AP Photo/ Alexander Zemlianichenko

Ele acrescentou que "muitas pessoas foram intoxicadas" e tiveram que ser hospitalizadas.

Anteriormente, as forças da RPD acusaram reiteradas vezes o exército ucraniano de utilizar as chamadas bombas de fósforo.

Em abril 2014 Kiev lançou uma operação militar contra as forças das regiões de Donetsk e Lugansk, áreas cujas populações estão insatisfeitas desde a derrubada do presidente Viktor Yanukovich em fevereiro daquele ano.

Depois de quase um ano de hostilidades, em Donbass foi decretado um cessar-fogo que o Grupo de Contato Trilateral composto por Rússia, Ucrânia e OSCE, negociou em 12 de fevereiro em Minsk.

Apesar dos acordos alcançados em Minsk em 12 de fevereiro de 2015 terem estabelecido uma trégua que cessou os combates em grande escala, as violações do armistício ocorrem com frequência, com as partes envolvidas mutuamente se acusando.

Postar um comentário