Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Helicópteros americanos estariam resgatando terroristas do Daesh de prisão síria

Os helicópteros norte-americanos tiraram terroristas do Daesh de uma prisão na cidade síria de Al-Hasakah, informou uma fonte local à Sputnik.
Sputnik

"Habitantes locais viram do telhado helicópteros estadunidenses aterrissando no território de uma prisão local, controlada pelos curdos, para tirar de lá terroristas do Daesh", afirmou a fonte — que preferiu não ser identificada — em Al-Hasakah à Sputnik Árabe.


Além disso, há informações que os militares norte-americanos estariam trazendo para a prisão várias munições, porque planejam criar no lugar uma base.

Anteriormente, a mídia iraquiana comunicou que helicópteros dos EUA tinham transportado membros do grupo Daesh (proibido na Rússia) da prisão central de Al-Hasakah para sua base perto do povoado Abu Hajar, no leste da Síria.

De acordo com fontes locais, na prisão de Al-Hasakah, muito bem fortificada, estariam encarcerados cerca de 100 terroristas, a maioria de cidadania estrangeira. Especialistas sírios acham que são os mesmos…

Hackers americanos teriam tentado obter informações sobre armas da Alemanha e França

Hackers baseados nos Estados Unidos tentaram obter informações sobre as capacidades de defesa da França e da Alemanha, informou o jornal alemão Bild neste domingo (12).


Sputnik

Segundo os documentos obtidos pelo jornal, em 2 de novembro de 2011 norte-americanos não identificados tentaram infrutiferamente hackear a empresa Defesa Aérea e Espacial Europeia (EADS, na sigla em inglês) para descobrir que armas tinham sido encomendadas pela Arábia Saudita, Alemanha e França.




"Os BND [serviços de informação da República Federal Alemã] receberam informações de um serviço de notícias estrangeiro sobre um alegado ciberataque aos dados da EADS", escreve o jornal.

Mais cedo em 2005 os Estados Unidos exigiram informações dos BND sobre a circulação de equipamento militar alemão e francês, de acordo com os dados obtidos. No entanto, segundo o jornal, os serviços de inteligência recusaram, alegando razões econômicas.



Postar um comentário