Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Holding russa estuda ressuscitar 'assassino de submarinos ocidentais'

A holding Russian Helicopters pode relançar a produção do helicóptero anfíbio Mi-14, comenta a revista The Diplomat.


Sputnik

"Este aparelho pode causar grandes problemas aos submarinos ocidentais se carregar uma bomba nuclear antissubmarina", diz a publicação.


Mi-14
Mi-14 © Foto: Russian Helicopters

O helicóptero Mi-14 foi desenvolvido nos anos 1960 e podia carregar uma bomba nuclear capaz de destruir submarinos em um raio de até um quilômetro.

Nos anos da Guerra Fria, o helicóptero ganhou fama depois de destruir um submarino estrangeiro (provavelmente americano) em águas territoriais soviéticas.

Segundo se acredita, o Mi-14 foi retirado do serviço operacional em 1996, por pressão dos Estados Unidos.

Os aparelhos serão montados na Fábrica de Helicópteros de Kazan se seu relançamento for decidido. A versão modernizada do Mi-14 estaria dotada de novos motores e um sistema avançado de navegação.


Postar um comentário