Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia não considera Patriot como alternativa ao S-400, diz parlamentar turco

Washington está negociando com Ancara quanto à possibilidade de fornecimento dos sistemas de defesa antiaérea norte-americanos Patriot no lugar dos S-400 russos, escreveu a revista turca Sabah, citando a assessora do Secretário de Estado dos EUA em questões políticas, Tina Kaidanow.
Sputnik

Kaidanow relevou que o Departamento do Estado está negociando com a Turquia para "tentar dar a entender aos turcos o que se pode fazer em relação aos Patriot".

"Estamos preocupados que a compra dos sistemas russos de defesa antiaérea seja uma espécie de apoio para a Rússia que, pelo que vimos, não se comporta bem em várias partes do mundo, inclusive na Europa", afirmou a assessora, citada pela edição turca.

Um representante do Ministério das Relações Exteriores turco, que pediu anonimato, comentou à Sputnik Turquia sobre a situação quanto às compras dos S-400 por Ancara, bem como quanto ao diálogo com os EUA.
"A nossa postura em relação aos S-400 foi reiterada por diversas vezes…

Irã quer 100 aviões-tanque russos, diz imprensa de Israel

Na última semana, o Irã fez um pedido de aviões-tanque russos para reabastecer suas aeronaves durante voos, ampliando o alcance dos caças iranianos, afirmou o site israelense de inteligência militar DEBKAfile.


Sputnik

Segundo o DEBKAfile, a aquisição de 100 aviões-tanque russos IL78 MKIs, que podem reabastecer simultaneamente de seis a oito aviões, colocaria Israel e o resto do Oriente Médio no alcance de um ataque aéreo iraniano.


Bombardeiro estratégico Tu-95 sendo reabastecido por uma aeronave Il-78
© Sputnik/ Mikhail Klimentye

Embora o Irã continue sob os efeitos de um embargo armamentista até 2020, segundo o recente acordo nuclear com o P5+1, Moscou vem advogando para suspender o embargo sobre a venda de armas para Teerã.

Entretanto, o DEBKAfile sugere que mesmo se o Irã continuar sob o regime de sanções, Moscou e Teerã podem assinar um acordo sem violar o acordo nuclear.

O negócio seria tão vultoso que fabricantes russos não conseguiriam produzir 100 novos aviões-tanque antes de 2020 e, portanto, a transação não constituiria uma violação.

"A enorme transação militar entre Rússia e Irã, portanto, se apresenta como primeiro teste real do acordo de Viena. Vai depender de se o presidente americano, Barack Obama, ou seu secretário de Estado, John Kerry, quiserem questionar o negócio. Se eles deixarem passar, será um precedente para que a cláusula que estipula o embargo armamentista no acordo nuclear comece a se desfazer", escreveo o DEBKAfile.

Nem Rússia nem Irã confirmam a negociação.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas