Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Kiev recebe armas letais de vários países europeus

O recém-indicado embaixador da Ucrânia para os Estados Unidos, Valeriy Chaly, afirmou que a Ucrânia mantém cooperação técnico-militar em vários níveis com mais de dez países europeus.


Sputnik


Deputy Head of the Ukrainian Presidential Administration Valery Chaly addresses a briefing in Kiev
Valeriy Chaly © Sputnik/ Mikhail Markiv

A Ucrânia recebe armas — inclusive letais — de mais de dez países europeus, afirmou nesta sexta-feira o recém-indicado embaixador do país para os EUA, Valeriy Chaly.

"Estamos recebendo armas, inclusive armas letais, e ninguém pode impedir uma Ucrânia soberana de fazer isto. Outra coisa é que não costumamos divulgar a lista de países (que fornecem armas), mas há mais de dez países apenas na Europa. Temos vários níveis de cooperação técnico-militar com eles, e neste momentos estamos desenvolvendo essas relações", disse Chaly segundo o jornal ucraniano Mirror Weekly.


Postar um comentário