Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Milícia curda acusa Estado Islâmico de usar gás venenoso na Síria

Tom Perry | Reuters

BEIRUTE (Reuters) - Uma milícia curda da Síria disse no sábado (horário local) que o grupo jihadista Estado Islâmico usou gás venenoso em ataques no fim de junho no nordeste da Síria.




O YPG afirmou que o gás venenoso foi usado em ataques em 28 de junho e 29 de junho contra áreas detidas pelo grupo curdo na província de Hasaka, no nordeste do país. O porta-voz do YPG, Redur Xelil, disse que o tipo de produto químico utilizado não tinha sido determinado com precisão.

Nenhum dos combatentes do YPG expostos ao gás morreram porque foram rapidamente levados para o hospital, contou ele.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um grupo com sede no Reino Unido que monitora a guerra usando uma rede de ativistas em solo, disse que também havia documentado o uso de gás venenoso pelo Estado Islâmico no nordeste da Síria em 28 de junho.


Postar um comentário