Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Pesquisa: União Europeia deve ter seu próprio exército e não depender da OTAN

De acordo com mais uma pesquisa Sputnik-Opinião, realizada no Reino Unido, França e Alemanha pela agência britânica ICM Research para a agência e rádio Sputnik, um terço dos inquiridos acha que a União Europeia teve ter o seu próprio exército e não depender das forças da OTAN.


Sputnik

Respondendo à questão "considera que a União Europeia deve ter o seu próprio exército para defender os seus interesses ou é a OTAN que deve defender os países europeus?", em média 28% dos entrevistados considera que há necessidade de a UE ter o seu próprio exército.


A UE deve possuir um exército?
Quem protegerá a Europa?

O maior percentual de defensores de um exército europeu foi registrado em França (37%). Quase metade dos entrevistados na Alemanha (47%) e no Reino Unido (48%) são partidários da presença de tropas da OTAN no país, enquanto na Alemanha, é elevada a proporção dos defensores de suas próprias forças armadas — 36%.

A pesquisa foi realizada pela ICM Research para a agência Sputnik entre 1 e 4 de Maio de 2015 no Reino Unido, França e Alemanha.

A amostra era composta por 4.096 pessoas (2.005 no Reino Unido, 1.041 na França, 1.050 na Alemanha), sendo representativa por sexo, idade e zona geográfica.

A margem de erro da pesquisa é de 3,1 pontos percentuais para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%.

A empresa britânica de estudos de opinião ICM Research foi parceira da sondagem.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas