Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Rússia ameaça responder à possível implantação de sistema antimísseis dos EUA na Ucrânia

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que, se a Ucrânia implantar elementos de sistemas de defesa antimísseis dos EUA em seu território, a Rússia terá de responder, a fim de garantir a sua própria segurança.


Sputnik

No início do dia, o secretário do Serviço de Segurança Nacional ucraniano, Oleksander Turchynov, de Segurança Nacional disse que Kiev pode considerar a colocação de sistemas de defesa antimísseis no seu território após consultas.


A U.S. soldier stands next to a Patriot surface-to-air missile battery at an army base in Morag
© AP Photo/ Czarek Sokolowsk

“Se isso significa que a Ucrânia planeja implantar elementos de sistemas de defesa antimísseis dos EUA no seu território, então, obviamente, isso poderia ser entendido como sendo completamente negativo, porque seria uma ameaça para a Federação Russa,” disse Peskov.

O assessor completou dizendo que a Rússia seria obrigada a responder. “Se os sistemas de defesa antimísseis dos EUA forem implantados na Ucrânia, a Rússia precisaria tomar medidas de resposta para fornecer para sua própria segurança.”


Postar um comentário