Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Japão defende aumento pressão sobre Pyongyang após oferta de dialogo dos EUA

O Japão defendeu nesta quarta-feira que se aumente a pressão sobre a Coreia do Norte, com o objetivo de que esta "mude suas políticas", e reiterou seu apoio total aos Estados Unidos, após a notícia de um possível diálogo bilateral sem condições prévias entre Washington e Pyongyang.
EFE

"Os dois líderes de Japão e Estados Unidos definiram sua política sobre a Coreia do Norte e esta inclui a máxima pressão sobre o país (...) Além disso, a Casa Branca confirmou que não mudou sua postura a respeito", afirmou hoje o ministro porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga.


Durante uma entrevista coletiva, Suga ressaltou "a estreita relação entre Estados Unidos e Japão", depois que o secretário de Estado americano, Rex Tillerson, afirmou que a ameaça da Coreia do Norte é "a mais imediata" e que continuará com a diplomacia "com a esperança de êxito até que caia a primeira bomba".

Neste sentido, Tillerson se pronunciou ontem sobre a possibilidade de …

Rússia ameaça responder à possível implantação de sistema antimísseis dos EUA na Ucrânia

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que, se a Ucrânia implantar elementos de sistemas de defesa antimísseis dos EUA em seu território, a Rússia terá de responder, a fim de garantir a sua própria segurança.


Sputnik

No início do dia, o secretário do Serviço de Segurança Nacional ucraniano, Oleksander Turchynov, de Segurança Nacional disse que Kiev pode considerar a colocação de sistemas de defesa antimísseis no seu território após consultas.


A U.S. soldier stands next to a Patriot surface-to-air missile battery at an army base in Morag
© AP Photo/ Czarek Sokolowsk

“Se isso significa que a Ucrânia planeja implantar elementos de sistemas de defesa antimísseis dos EUA no seu território, então, obviamente, isso poderia ser entendido como sendo completamente negativo, porque seria uma ameaça para a Federação Russa,” disse Peskov.

O assessor completou dizendo que a Rússia seria obrigada a responder. “Se os sistemas de defesa antimísseis dos EUA forem implantados na Ucrânia, a Rússia precisaria tomar medidas de resposta para fornecer para sua própria segurança.”


Postar um comentário