Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Rússia desenvolve lançadores de mísseis multifunção e novos destróieres antiaéreos

Rússia está desenvolvendo um lançador de mísseis multifunção para equipar navios de última geração da Marinha russa. A informação foi divulgada pelo chefe Technodynamika, uma subsidiária da estatal Rostec, Maxim Kuzyuk, à RIA Novosti.


Sputnik

Os lançadores multifunção da Technodynamika tornarão possível lançar mísseis de diferentes classes a partir de um único tubo de lançamento. Um equipamento semelhante é utilizado nos navios da OTAN que possuem o sistema de combate Aegis.


Classe Sovremennyy

“Já concluímos o trabalho ‘preplanning’ para criar os lançadores multifunções para diferentes tipos de mísseis”, disse Kuzyuk, acrescentando que a questão da implantação dos novos sistemas de mísseis superfície-ar Shtil-1 foi abordada.

Anteriormente, foi divulgado que a Rússia estava desenvolvendo uma nova classe de destróieres antiaéreos, conhecido como Líder. A Marinha russa prevê operar 12 navios desta classe em 2025. Estas embarcações serão movidas a energia nuclear, deverão ser equipadas com mais de 200 e substituirão os destróieres da classe Sovremennyy e da classe Udaloy I e os cruzadores da classe Slava.


Postar um comentário