Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Rússia dobrará tropas e equipamentos militares em região do Ártico

A Rússia vai dobrar seu poderio militar no arquipélago de Nova Zembla, no Ártico até 2020, afirmou uma fonte no exército russo à RIA Novosti nesta quinta-feira (9).


Sputnik

“Um aumento de agrupamentos árticos de tropas e equipamentos está em curso na faixa central da Rússia (em Nova Zembla) e, de acordo com nossos planos, serão duplicados até 2020”, disse a fonte.


Soldados russos no Ártico
© Sputnik/ Igor Ageyenko

O Ártico é considerado uma das maiores fontes de hidrocarbonetos, minerais e peixe do mundo. Os recursos da região são questão de interesse para os países que fazem fronteira com a área, incluindo Rússia, EUA, Canadá, Noruega e Dinamarca.

Em 2013, Moscou anunciou uma estratégia para aumentar sua presença no Ártico e para impulsionar o desenvolvimento da região até 2020. Desde então, a Rússia tem sido particularmente ativa na exploração de oportunidades na região.

Em dezembro de 2014, o presidente russo, Vladimir Putin, assinou uma revisão da doutrina militar para o país, sob a qual é prevista a construção de uma rede unificada de instalações militares em territórios árticos da Rússia para sediar tropas, navios de guerra e aeronaves, como parte de um esforço para fortalecer a defesa da fronteira na região.

Postar um comentário