Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Rússia é maior ameaça para os EUA, diz general americano

A "Rússia representa a maior ameaça para a segurança nacional", declarou o candidato a chefiar o Estado maior Conjunto das forças armadas dos EUA, general Joseph Dunford.


Sputnik

Dunford disse ainda que a atuação da Rússia — uma potência nuclear — é alarmante e contradiz os interesses nacionais dos Estados Unidos.


General Joseph Dunford
© AP Photo/ Cliff Owen

Os EUA, destacou o militar, deve tomar medidas para melhorar sua estratégia dissuasiva e responder à "ameaça híbrida" que a Rússia representa.

O general americano apontou ainda que os EUA devem fornecer armas à Ucrânia para conter a "agressão" russa, que Washington considera como responsável pela crise no país.

Dunford declarou também que é importante manter "o quanto for possível" contatos militares com a Rússia para minimizar o risco de "erros de cálculo" e ir recuperando a confiança mútua.


Postar um comentário