Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Rússia fará exercícios com disparo de mísseis do complexo Iskander-M

O Distrito Militar do Sul do Ministério da Defesa da Rússia anunciou nesta segunda-feira (13) a realização de exercícios militares na região de Astrakhan, no sul do país, no final de julho. O treinamento incluirá lançamento de mísseis do complexo Iskander-M.


Sputnik

Segundo um comunicado, do Distrito Militar do Sul o exercício acontecerá “no âmbito da formação de subunidades” e contará com disparos “contra alvos terrestres e equipamentos de infraestrutura de um inimigo imaginário localizado a uma distância de até 300 quilômetros”.


Sistema de mísseis Iskander-M.
© Sputnik/ Alexei Danichev

O sistema Iskander-M (SS-26 Stone, segundo a classificação da OTAN) é um complexo tático-operacional com elevada mobilidade e capacidade de manobra, sendo considerado um dos mais avançados mísseis terra-terra da atualidade. Atinge alvos a 500 quilômetros com uma precisão de 30 centímetros, visto que podem ser controlados ao longo de toda a trajetória. Se necessário, podem levar ogivas nucleares.


Postar um comentário