Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Rússia testará em 2016 primeiro navio contra escudo antimísseis dos EUA

O primeiro navio russo destinado a vigiar o sistema antimísseis dos EUA iniciará seus testes em 2016, comunicou à Sputnik o responsável pelos contratos estatais da Corporação Unida de Construção Naval (OSK, na sigla em russo), Anatoli Shlemov.


Sputnik

Os testes de fábrica do navio Ivan Jurs serão realizados no terceiro trimestre de 2016", revelou Shlemov.


Planta de la construcción naval Severnaya Verf
© Sputnik/ Alexei Danichev

O funcionário destacou que a embarcação está destinada a assegurar a comunicação e o comando das forças navais e a vigilância dos componentes do escudo antimísseis dos Estados Unidos.

Shlemov integra a delegação da OSK que assiste ao Salão Internacional de São Petersburgo, evento que vai até o dia 5 de julho. O Salão conta com 40 delegações de 27 países de Ásia, Europa e América — entre eles, Brasil, Argentina e EUA.


Postar um comentário