Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Alemanha gasta 20 milhões de euros a mais por exercícios na Ucrânia

Um porta-voz do Ministério da Defesa alemão afirmou que o país irá aumentar de 70 para 90 milhões de euros seus gastos militares em virtude dos exercícios militares da OTAN na Ucrânia.


Sputnik

Um total de 154 mil soldados da Bundeswehr participarão de exercícios militares internacionais este ano. O número é pouco menor do que em 2014 (160 mil), mas mais do que o dobro se comparado com 2013 (73 mil).


Soldados da OTAN em exercício chamado Saber Junction no sul da Alemanha
© AP Photo/ Matthias Schrader

Apenas na Polônia e nos países bálticos há 4.400 soldados alemães envolvidos em 16 exercícios diferentes. Mais de 35 mil soldados, de 35 países, incluindo três mil alemães, participarão do exercício "Trident Juncture", em Itália, Espanha e Portugal, de 28 de setembro a 16 de outubro.

O Partido de Esquerda alemão critica as manobras. De acordo com um de seus integrantes, Heike Hensel, o propósito das atividades é agravar relações com a Rússia e colocar sob ameaça a ordem pacífica que existe na Europa.


Postar um comentário