Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Antigos caças soviéticos são melhores do que o novo F-35 norte-americano

Os caças norte-americanos F-35 são tão maus que, no combate aéreo, mesmo os “antigos” caças soviéticos MiG-21 conseguem batê-los, considera especialista militar norte-americano.


Sputnik

Segundo Pierre Sprey, famoso analista norte-americano, os caças da quinta geração Lockheed Martin F-35 Lightning II, que a mídia chama de “feira de ouro” devido a seu preço altíssimo, podem ser batidos pelos caças soviéticos de quarta geração Sukhoi Su-27 e MiG-29. Além disso, mesmo o “antigo” MiG-21 pode superá-lo. 


Lockheed Martin F-35 Lightning II
F-35 Lightning II © AP Photo/ Ross D. Franklin

Em entrevista dada a um canal de televisão russo, o especialista expressou o seu ceticismo quanto ao novo caça norte-americano:

“Embora os Su-27 e MiG-29 não sejam ideais, eles têm a maior amplitude de asas em relação à respetiva massa, os motores são mais fortes, podem carregar mais mísseis “ar-ar” e “ar-terra”. Por isso, se o F-35 se encontrar com estes aviões, ele ficará desamparado.”

Alguns dias atrás, Bill French, outro especialista que trabalha na organização National Security Network publicou um relatório em que também criticou os F-35 de forma ainda mais severa:

“Se bem que os F-35 tenham tecnologias furtivas e eletrônica de bordo superiores, em comparação com os Su-27 e MiG-29, podemos esperar derrotas 3:1, isto é, por cada Su-27 e MiG-29 eliminado, três F-35 poderão ser destruídos”.

Entretanto, é evidente que, nesta situação, o avião de combate norte-americano não poderá concorrer com o caça russo de quinta geração Sukhoi PAK FA. Também conhecido como T50, o caça deverá ser fabricado a partir de 2016. O avião possui tecnologias inovadoras, como, por exemplo, um sistema exclusivo de radares ativos e passivos.


Postar um comentário