Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

As sete armas potencialmente mais perigosas da Rússia

O site norte-americano We Are The Mighty, especializado em assuntos militares, publicou a lista das novas armas russas que estão sendo desenvolvidas.


Sputnik

O autor do artigo David Nye escreve que a Rússia está modernizando o seu armamento de forma muito rápida:

“Enquanto o exército russo está lutando contra muitas dificuldades, o Kremlin está trabalhando duro para o fortalecer”.

Agora a Rússia produz submarinos nucleares de quarta geração mas já tem projetos de quinta geração, a ser equipados com novos reatores nucleares.

Quanto ao programa de mísseis hipersônicos da Rússia, o autor diz que ele “tem potencial”:

“O Yu-71 será capaz de atingir alvos em velocidades de 7.000 milhas por hora e destruir defesas aéreas. Embora os EUA também tenham um programa hipersônico, os mísseis americanos são projetados para ogivas convencionais, enquanto as da Rússia são nucleares.”


Míssil hipersônico Yu-71

A Rússia também está construindo um novo bombardeiro estratégico com grande capacidade de carga, o Sukhoi PAK DA, dotado de eficazes tecnologias furtivas e que poderá usar mísseis de cruzeiro de longa distância contra porta-aviões e outros alvos.

“Enquanto os mísseis da defesa aérea S-300 estão sendo discutidos nas notícias agora (parece que o autor tem em vista o acordo com o Irã), o S-500 está duas gerações à frente. Se espera que os novos mísseis de defesa aérea S-500 serão capazes de carregar cinco-dez mísseis balísticos de uma só vez e até de abater satélites de baixa órbita,” escreve David Nye.

Entre outras armas “mais perigosas” da Rússia, o autor destaca o sistema de combate eletrônico, que é capaz de neutralizar os sistemas da defesa dos inimigos, e o programa de lasers, que é confidencial.

O especialista duvida que os porta-aviões russos tenham boas perspectivas mas nota que se eles forem lançados, serão muito melhores do que o porta-aviões Almirante Kuznetsov.



Postar um comentário