Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Benim: presidente anuncia envio de 800 militares para combater Boko Haram

Desde 2009, os jihadistas do Boko Haram já mataram mais de 15 mil pessoas na Nigéria

Correio do Brasil, com ABr – de Cotonou, Benim

O presidente do Benim, Thomas Boni Yayi anunciou, neste fim de semana, o envio de 800 militares para a nova força regional encarregada de combater o grupo radical Boko Haram, após um encontro com o seu colega nigeriano, Muhammadu Buhari.


Desde 2009, os jihadistas do Boko Haram já mataram mais de 15 mil pessoas na Nigéria

Buhari, que tomou posse em 29 de maio, enfrenta uma nova onda de violência islâmica na Nigéria. Mais de 800 pessoas foram mortas no Nordeste do país em dois meses. A violência se estendeu aos vizinhos Chade e Camarões, atingidos nas últimas semanas por atentados suicidas.

Depois de uma visita ao Camarões, no início da semana, para falar da luta contra o grupo radical, o presidente da Nigéria esteve no sábado em Cotonou – a maior cidade do Benim – onde participou das celebrações do 55º aniversário da independência do país, ao lado de Boni Yayi.

– O Benim demonstra a sua solidariedade aos seus irmãos da região com o envio de um contingente de 800 homens para combater definitivamente esses bandidos – disse Boni Yayi à imprensa após o seu encontro com Buhari.

A força de intervenção conjunta multinacional, da qual devem participar a Nigéria, o Níger, o Chade, Camarões e Benim, deverá contar com 8,7 mil militares e ficará sediada em N’Djamena, no Chade.

A força militar, liderada pelo general nigeriano Iliya Abbah, deverá entrar em ação imediatamente, segundo declarações recentes de Buhari e de outros líderes nigerianos.

Desde 2009, os jihadistas do Boko Haram já mataram mais de 15 mil pessoas na Nigéria. Recentemente, a ação do grupo tem se espalhado para além das fronteiras do país, com ataques em massa nos últimos meses também no Chade e em Camarões.


Postar um comentário