Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

EUA planejam mais exercícios anti-China na região Ásia-Pacífico

Os Estados Unidos aumentarão o número de exercícios militares conduzidos na região Ásia-Pacífico como parte de sua estratégia para responder à expansão China no Mar da China Meridional, revelou nesta quarta-feira o departamento militar das Filipinas.


Sputnik

O almirante Harry Harris, chefe do Comando do Pacífico dos EUA, discutiu a recém delineada Estratégia de Segurança Marítima da Ásia-Pacífico com seu correspondente filipino, o general Hernando Iriberri, durante uma visita a Manila.


Veículos de assalto anfíbios com tropas americanas e filipinas em exercício militar no Mar da China Meridional
© AP Photo/ Bullit Marquez

Segundo o coronel Restituto Padilla, porta-voz militar das Filipinas, as conversas delinearam as ações de Washington no disputado Mar da China Meridional e no Mar da China Oriental, que serão concentradas na proteção da "liberdade nos mares", em evitar conflito e coerção, e na aplicação da lei internacional.

A China alega ter direito à maior parte do Mar da China Meridional. Fliipinas, Vietnã, Malásia, Taiwan e Brunei também afirmam terem direito a partes daquelas águas.


Uma fonte militar que estava no encontro entre Harris e Iriberri disse à agência de notícias Reuters que EUA e Filipinas esperam aumentar o tamanho, a frequência e a sofisticação dos exercícios na região.

Pequim pede seguidamente que Washington não tome lados na disputa pela região. Em julho, o Ministério da Defesa chinês acusou os EUA de "militarizarem" o Mar da China Meridional praticando exercícios militares na região.


Postar um comentário