Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

EUA planejam mais exercícios anti-China na região Ásia-Pacífico

Os Estados Unidos aumentarão o número de exercícios militares conduzidos na região Ásia-Pacífico como parte de sua estratégia para responder à expansão China no Mar da China Meridional, revelou nesta quarta-feira o departamento militar das Filipinas.


Sputnik

O almirante Harry Harris, chefe do Comando do Pacífico dos EUA, discutiu a recém delineada Estratégia de Segurança Marítima da Ásia-Pacífico com seu correspondente filipino, o general Hernando Iriberri, durante uma visita a Manila.


Veículos de assalto anfíbios com tropas americanas e filipinas em exercício militar no Mar da China Meridional
© AP Photo/ Bullit Marquez

Segundo o coronel Restituto Padilla, porta-voz militar das Filipinas, as conversas delinearam as ações de Washington no disputado Mar da China Meridional e no Mar da China Oriental, que serão concentradas na proteção da "liberdade nos mares", em evitar conflito e coerção, e na aplicação da lei internacional.

A China alega ter direito à maior parte do Mar da China Meridional. Fliipinas, Vietnã, Malásia, Taiwan e Brunei também afirmam terem direito a partes daquelas águas.


Uma fonte militar que estava no encontro entre Harris e Iriberri disse à agência de notícias Reuters que EUA e Filipinas esperam aumentar o tamanho, a frequência e a sofisticação dos exercícios na região.

Pequim pede seguidamente que Washington não tome lados na disputa pela região. Em julho, o Ministério da Defesa chinês acusou os EUA de "militarizarem" o Mar da China Meridional praticando exercícios militares na região.


Postar um comentário