Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Exercícios navais russo-chineses começam no Extremo Oriente russo

Hoje (21) na região Primorsky se iniciaram exercícios navais russo-chineses, segundo o porta-voz do Distrito Militar do Leste.


Sputnik

“No dia 21 de agosto o estado-maior conjunto fez iniciar exercícios navais russo-chineses ‘Cooperação Marítima-2015(II)”, disse Roman Martov, capitão da 1ª categoria.


Exercícios navais russo-chineses ‘Cooperação Marítima-2015(II)
© Sputnik/ Yulia Kaminskaya

O objetivo principal dos exercícios é aperfeiçoamento das ações conjuntas no mar, no ar e na terra.

Nos exercícios são envolvidos cerca de 20 navios de guerra russos e navios auxiliares, tal como aviões e helicópteros navais, de acordo com o Ministério da Defesa russo.

Se espera que a China envie seis helicópteros, cinco aviões e cerca de 200 soldados para participar dos exercícios entre os dois países em agosto.

Os exercícios militares conjuntos são realizados no golfo de Pedro, o Grande, o maior golfo no mar do Japão, perto da cidade estratégica portuária russa de Vladivostok.

Os marinheiros russos e chineses vão treinar a defesa antiaérea, antinavio, antissubmarino, antissabotagem.

Agora se realiza a segunda etapa dos exercícios “Cooperação Marítima-2015” que continuará até 28 de agosto.

A primeira etapa ocorreu em maio no mar Mediterrâneo e foi avaliada altamente pelo comando russo e chinês.

Alguns especialistas do Ocidente estão preocupados com o fato de que a Rússia e a China estão a criar um novo centro de força contra a OTAN liderada pelos EUA. No entanto, Moscou e Pequim tem afirmado que os exercícios não estão dirigidos contra outros países e demonstram aspirações para o mundo sem alianças militares e para a estabilidade.


Postar um comentário