Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Ministro israelense ameaça devolver Líbano à 'Idade da Pedra'

Em entrevista ao portal saudita Elaph, o ministro da Inteligência de Israel, Yisrael Katz, avisou que seu país não hesitará em atacar o Líbano para deter a atividade do grupo xiita libanês Hezbollah, e ameaçou devolver o Líbano à "Idade da Pedra", informou o jornal israelense Haaretz.
Sputnik

Além disso, Katz anunciou que Israel atacará instalações militares do Irã no Líbano: "Temos informações de que o Irã está construindo fábricas de mísseis avançados no Líbano e quero enfatizar que traçamos uma linha vermelha e que não deixaremos que o faça custe o que custar", acrescentou.


Lembrando-se da Segunda Guerra do Líbano em 2006, onde Israel lutou contra o Hezbollah, Katz destacou que os eventos de 11 anos atrás serão um "piquenique" em comparação com o que Israel pode fazer agora.

"Lembro-me de como um ministro saudita disse que devolveria o Hezbollah às suas cavernas no sul do Líbano. Devolveremos o Líbano à Idade da Pedra", declarou o ministro israel…

Hollande nega acordo para rescindir contrato de navios Mistral

França e Rússia ainda não entraram em acordo nos termos da rescisão do contrato para a entrega dos navios da classe Mistral a Moscou, afirmou o presidente francês.


Sputnik

O presidente da França, François Hollande, negou os relatos de que Moscou e Paris haviam chegado a um acordo para a rescisão do contrato de entrega dos porta-helicópteros Mistral.


Vladivostok, navio do tipo Mistral
© Sputnik/ Grigoriy Sisoev

"Não chegamos a um acordo ainda", disse Hollande, citado pela RTL.

Na quinta-feira, o assistente do Presidente Vladimir Putin para cooperação técnico-militar, Vladimir Kozhin, afirmou que os países haviam chegado a um acordo.

Nesta sexta, veículos da imprensa russa chegaram a informar até o montante exato da compensação que seria paga pela França à Rússia: 1,16 bilhão de euros. O valor cobriria o adiantamento e os custos adicionais que Moscou teve durante o treinamento da tripulação, a criação de infraestrutura para embarcações na estação em Vladivostok e o desenvolvimento de quatro protótipos de pré-produção dos helicópteros Ka-52K.

Rússia e França assinaram um contrato no valor de 1,2 bilhão de euros para a entrega de dois navios de assalto anfíbios da classe Mistral. Entretanto, em novembro de 2014, a França suspendeu o contrato, alegando que Moscou estaria participando do conflito na Ucrânia.


Postar um comentário