Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Irã afirma que acusações sobre instalação militar são ‘mentiras’

Correio do Brasil, com Reuters – de Dubai:

O ministro do Exterior do Irã disse neste sábado que as acusações sobre atividades nas instalações militares iranianas de Parchin são “mentiras” espalhadas por opositores do histórico acordo nuclear com as potências mundiais firmado no mês passado.


Parchin é um local para o qual a agência de observação nuclear das Nações Unidas
Parchin é um local para o qual a agência de observação nuclear das Nações Unidas

Um importante centro de análises norte-americano questionou na sexta-feira a explicação iraniana relacionada às atividades em Parchin, visíveis em imagens de satélite, dizendo que o movimento de veículos não parecia ser ligado a obras em estradas.

– Nós dissemos que as atividades em Parchin são relacionadas à construção de estrada – afirmou o ministro Mohammad Javad Zarif, segundo citação da IRNA, agência estatal de notícias, neste sábado.

– Eles (opositores do acordo) já espalharam essas mentiras antes. O objetivo deles é prejudicar o acordo – acrescentou.

Parchin é um local para o qual a agência de observação nuclear das Nações Unidas, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), requisitou o acesso como parte do acordo nuclear de 14 de julho entre o Irã e as seis potências mundiais, incluindo os Estados Unidos.

O Instituto para a Ciência e a Segurança Internacional, com base nos EUA, sugeriu que o Irã poderia estar fazendo uma limpeza no local antes da chegada dos inspetores da AIEA.


Postar um comentário