Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Líderes da Europa e Rússia querem cessar-fogo na Ucrânia

Correio do Brasil, com Sputnik Brasil – de Paris

Os líderes da França, Alemanha e Rússia apelam ao estabelecimento do cessar-fogo em Donbass a partir de 1 de Setembro e ressaltam a importância de retirar as armas pesadas de calibre de 100 milímetros ao longo da linha de contato, disse o serviço de imprensa do Palácio do Eliseu no comunicado neste sábado.


Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente da França, François Hollande e o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, em Minsk
Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente da França, François Hollande e o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, em Minsk

O presidente russo Vladimir Putin discutiu com o presidente francês François Hollande e a chanceler alemã Angela Merkel os trabalhos no chamado formato da Normandia para a reconciliação da Ucrânia, incluindo a preparação de novas conversações de alto nível, diz o serviço de imprensa do Kremlin no comunicado.

O quarteto da Normandia inclui a Rússia, a Ucrânia, a França e a Alemanha.

“Eles apelaram fortemente para o cessar-fogo completo a partir de 1 de setembro devido ao início de um novo ano escolar… Eles ressaltaram a importância do cessar-fogo contínuo, se referindo à situação dos civis no leste da Ucrânia”, diz o comunicado.

Os líderes dos três países também destacaram as próximas eleições locais na Ucrânia em 25 de outubro, que consideraram “um passo importante para a implementação dos Acordos de Minsk”, segundo o comunicado.

Presidente ucraniano não conseguiu formar aliança contra a Rússia. Desde meados de abril de 2013 a Ucrânia começou a realizar uma operação militar para atacar as forças independentistas no leste da Ucrânia, em particular as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk. Estas não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas que chegaram ao poder após um golpe de Estado em Kiev.

A operação militar continua apesar dos Acordos de Minsk alcançados entre as partes, que preveem a retirada de tropas, o cessar-fogo e a descentralização do poder. Segundo os últimos dados da ONU, mais de sete mil civis já foram vítimas mortais deste conflito.



Postar um comentário