Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Temos armas hipersônicas': Rússia dará resposta à saída dos EUA do Tratado INF, diz Putin

A Rússia não deixará a decisão dos Estados Unidos de retirar-se unilateralmente do tratado de armas nucleares sem resposta, garantiu o presidente russo Vladimir Putin, acrescentando que o país não precisa se unir a outra corrida armamentista.
Sputnik

Moscou ainda está pronta para continuar dialogando com Washington sobre o tratado bilateral que proíbe os mísseis de médio alcance, que se tornou uma das pedras angulares do desarmamento nuclear, disse o líder russo em uma reunião do governo em Sochi. Ainda assim, os EUA devem "tratar esta questão com total responsabilidade", disse o presidente, acrescentando que a decisão de Washington de retirar-se do acordo "não pode e não ficará sem resposta".


Estas não são ameaças vazias, advertiu Putin. Ele disse que a Rússia já havia advertido os EUA contra a saída do tratado ABM que regulamenta os sistemas de mísseis e avisou Washington sobre possíveis retaliações. "Agora, temos armas hipersônicas capazes de penetrar qualquer…

Moscou agradece à China pela compreensão da posição russa sobre Ucrânia

A Rússia agradeceu à China pela compreensão da posição russa sobre o problema ucraniano e aprecia o fato que Pequim não apoiou as sanções antirrussas, disse nesta quinta-feira (27) o embaixador da Rússia na China Andrei Denisov durante uma coletiva de imprensa.


Sputnik

“A cooperação dos nossos países na arena internacional já tornou-se um poderoso fator estabilizador de garantia de paz e segurança”, sublinhou o embaixador comentando a viagem do presidente da Rússia Vladimir Putin à China em 2-3 de setembro. 


Bandeiras da Rússia e da China
© flickr.com/ Mark Turner

Anteriormente foi divulgado que Putin irá visitar a China em 2-3 de setembro. Em resultado da visita está prevista a assinatura de documentos bilaterais. Pressupõe-se que os líderes dos dois países irão discutir as questões de desenvolvimento dos laços bilaterais, sobretudo do ponto de vista da realização de acordos alcançados no quadro da visita do líder chinês Xi Jinping à Rússia em maio deste ano do encontro no quadro da cúpula dos BRICS e SCO em Ufá em julho deste ano. Os líderes também poderão trocar opiniões sobre os atuais problemas regionais e mundiais.

Vale lembrar que no dia 3 de setembro, a China vai celebrar 70 anos desde a rendição japonesa na Segunda Guerra Mundial. O país realizará um grande desfile militar na praça central de Pequim, Tiananmen. A situação foi comentada pelo vice-ministro do Exterior da China Cheng Guoping:

“A participação do presidente Putin da comemoração do aniversário será já o terceiro encontro entre o presidente da República Popular da China Xi Jinping e presidente da Federação Russa Putin… Esta visita fará uma grande contribuição para a garantia de estabilidade, prosperidade e paz em todo o mundo”.

O encontro entre os líderes dos dois Estados contribuirá para o futuro fortalecimento das relações bilaterais e cooperação em diversas áreas, construção da economia da Rota da Seda, assim como para o desenvolvimento da cooperação euroasiática. Putin e Xi Jinping irão defender os resultados da vitória na Segunda Guerra Mundial e justiça internacional, acrescentou Cheng Guoping.

Abordando a história da vitória na Segunda Guerra Mundial, o vice-chanceler chinês disse o seguinte:

“A China não poderia ganhar na luta contra o militarismo japonês sem ajuda da URSS… Os dois povos lutando lado ao lado ficaram ligados por uma amizade forte e profunda…”.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas