Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

ONU: funcionários estão entre os mortos em ataque no Mali

Correio do Brasil, com ABr – de Bamako, Mali:

Cinco funcionários que trabalhavam para a missão da Organização das Nações Unidas (ONU) no Mali estão entre os 12 mortos de um ataque com sequestro de reféns, em um hotel em Sevaré, no centro do país. A informação foi divulgada neste sábado pela ONU.




O ataque ocorreu na sexta-feira, quando homens armados, supostos jihadistas, invadiram o hotel onde estavam instalados vários estrangeiros. As forças especiais do Mali combateram o ataque, mas 12 pessoas morreram na operação.

A informação da Minusma, a missão da ONU no Mali, é que entre os 12 mortos, cinco são funcionários de empresas subcontratadas pela organização no país: um malinês, um nepalês, um sul-africano e dois ucranianos.

Uma fonte do governo maliano informou, em comunicado, que sete pessoas ligadas ao assalto foram detidas.

Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento, mas as autoridades suspeitam do envolvimento de seguidores de Amadou Kouffa, um jihadista local próximo da Al Qaeda no Magrebe Islâmico.

O último atentado contra estrangeiros no Mali ocorreu em março, em um restaurante da capital, Bamako, e deixou cinco mortos, dois deles europeus.



Postar um comentário