Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Países da Europa Oriental se opõem a retomada do Conselho OTAN-Rússia

A divisão no seio da OTAN está se aprofundando. A Alemanha tem discutido com outros Estados membros da Aliança e chamado para a retomada dos trabalhos do Conselho OTAN-Rússia, contudo, países do leste europeu se opõem fortemente a ideia.


Sputnik

Os países do leste da Europa se mostraram contra a ideia da retomada dos trabalhos do Conselho OTAN-Rússia. A divisão dentro da Aliança é cada vez mais evidente, especialmente após peritos alemães começarem a clamar pela retirada dos mísseis Patriot alemães da Turquia, contrariamente a posição de outros membros da OTAN.


Quartel-general da OTAN em Bruxelas
© Foto: NATO official website

Em coletiva de imprensa, o representante permanente da Alemanha junto à OTAN, Martin Erdmannsaid, disse que o governo alemão tem insistido na retomada das negociações políticas entre a Aliança do Norte e Moscou.

De acordo com Erdmann, muitos membros da OTAN perceberam a falta de um diálogo produtivo com a Rússia como um problema. Todavia o representante não especificou quais países apoiam a posição alemã.

Devido à forte oposição de aliados do leste, a situação poderia permanecer como uma questão de disputa por um longo tempo, visto que a decisão correspondente precisa ser tomada por unanimidade.

O Conselho OTAN-Rússia foi criado em 2002 para engajar Moscou ativamente na cooperação com a Aliança, bem como para reforçar a confiança entre as partes. O Conselho se reuniu pela última vez no nível de diplomatas em junho de 2014.

Desde então, o diálogo entre as partes foi congelado devido às acusações feitas por membros da OTAN acerca da posição russa no conflito ucraniano.


Postar um comentário